fbpx

A Wikipédia está configurada para excluir a entrada em sua página, referindo-se às centenas de milhões de assassinatos em massa, que devastaram povos subjugados sob regimes comunistas durante os últimos 100 anos. 

A ideia de deletar essas informações gerou muitas críticas, inclusive do historiador de Cambridge, Professor Robert Tombs, que a vê como uma tentativa de encobrir o comunismo, de acordo com o The Telegraph de 27 de novembro. 

“Isso é moralmente indefensável, pelo menos tão ruim quanto a negação do Holocausto, porque ‘ligar ideologia e matar’ é o próprio cerne do motivo pelo qual essas coisas são importantes”, enfatizou Tombs.

Ele acrescentou: “Eu li a página da Wikipédia e me parece cuidadosa e equilibrada. Portanto, as tentativas de removê-lo só podem ser motivadas ideologicamente – para encobrir o comunismo.”

Alguns usuários dedicados à manutenção do site consideram que a informação expressa um conceito tendencioso “anticomunista”, e os administradores decidirão se ela deve ser removida.

A página marcada descreve as mortes de milhões de pessoas durante os regimes comunistas impostos na União Soviética, China, Ucrânia, Camboja, Cuba, Iugoslávia, Romênia, Alemanha Oriental e Coréia do Norte, com inúmeras fontes.

Por sua vez, o diretor da Federação para a Defesa das Democracias, Cliff May, chega ao ponto de chamar de cúmplices aqueles que tentam expurgar esses dados históricos. 

“Aqueles que tentam apagar esta longa e terrível história de criminalidade devem ser vistos como cúmplices após o fato, abrindo caminho para mais tirania no futuro”, disse May de acordo com o The Telegraph.

Da mesma forma, o pesquisador Oliver Jia, sediado em Kyoto, Japão, argumenta que apenas pessoas especializadas como ele podem ter uma imagem clara de quão horríveis foram os crimes cometidos pelos vários regimes comunistas do mundo e inicia uma discussão com informações sobre o assunto.

“Não me surpreenderia se isso acontecesse. A Wikipédia há muito foi sequestrada por ativistas motivados politicamente em vez de ser administrada por editores imparciais”, ele tuitou.

Ele acrescentou: “Tudo isso vai contribuir para a ignorância geral do Ocidente sobre as atrocidades sob o comunismo.”

Alguns dos episódios mais sangrentos causados ​​por um regime comunista foram o massacre da Praça Tiananmen em 1989 na China, e o Grande Salto para Frente, imposto por Mao, que causou uma fome que pode ter causado a morte de até 20 milhões de pessoas.

No entanto, esses crimes não param porque o Partido Comunista Chinês (PCC) está atualmente dando continuidade ao que foi chamado por vários países de genocídio dos uigures. 

“Muitos morreram nos campos, um número incontável após sua libertação e centenas desapareceram completamente. Esterilizações em massa, tortura, remoção de crianças para orfanatos, tentativas de erradicar a religião, cultura e língua uigur estão bem documentadas”relata Bitter Winter.

Além de perseguir os uigures, a repressão se estende a outras minorias étnicas e religiosas, incluindo os milhões de praticantes da antiga disciplina espiritual Falun Dafa ou Falun Gong, com base nos princípios universais da Verdade, Compaixão e Tolerância.


Fonte: The BL

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Quer receber nossas notificações?    SIM! Não, obrigado (a)