Grécia: Tribunal condena partido Aurora Dourada como “organização criminosa”

Nos ajude a espalhar a palavra:

ATENAS, Grécia – Um tribunal grego decidiu nesta quarta-feira (7), em Atenas classificar o partido grego Aurora Dourada como uma “organização criminosa”. O líder do partido Nikos Michaloliakos e 6 altos funcionários (e ex-parlamentares) foram considerados culpados de liderar uma organização criminosa após um julgamento politico que se arrastou por cinco anos com vários vereditos de culpados e dezenas de réus.

O Aurora Dourada, fundado na década de 1980, tornou-se o terceiro maior partido da Grécia durante a recente crise financeira do país e é visto como um modelo para muitas organizações políticas e sociais nacionalistas no mundo inteiro.

Nas redes sociais, a Junge Natinalisten, a juventude do partido nacionalista alemão NPD se manifestou nas redes sociais:

E em seu site oficial, afirmaram que “os camaradas gregos têm a plena solidariedade de todos os ativistas alemães e europeus que lutam pela liberdade e pelo futuro dos nossos filhos numa Europa de pátrias!”

O tribunal decidiu que sete dos 18 ex-legisladores do partido, incluindo o líder do partido Nikos Michaloliakos, eram culpados de liderar uma organização criminosa. Os demais foram considerados culpados de participação em uma organização criminosa. Ao todo, havia 68 réus em um julgamento que abrangeu quatro casos.

O primeiro-ministro Kyriakos Mitsotakis os difamou dizendo que o veredito “põe fim a um ciclo traumático” na vida pública do país.

Quando a notícia dos veredictos de culpado foi divulgada, gritos e comemorações irromperam entre pelo menos 20.000 pessoas em um comício antifascista em frente ao tribunal de Atenas. Alguns manifestantes atiraram bombas e pedras na polícia, que respondeu com gás lacrimogêneo e canhões de água.

LEIA MAIS

Foram utilizados na “maratona de julgamentos”, quatro casos famosos pela mídia internacional: um esfaqueamento fatal de um cantor de rap antifa grego Pavlos Fyssas em 2013, ataques físicos a pescadores egípcios em 2012 e a ativistas de esquerda em 2013 e se o Aurora Dourada estava operando como uma organização criminosa.

O painel de três juízes também considerou Giorgos Roupakias culpado do assassinato de Fyssas, o que gerou aplausos dentro do tribunal e entre a multidão lá fora. Roupakias foi acusado de ser um apoiador do partido que causou as facadas fatais em Fyssas. Outros 15 réus – nenhum deles ex-parlamentar – foram condenados como cúmplices, enquanto dois foram absolvidos.

Comparece ao julgamento a juíza presidente Maria Lepenioti. Reuters

Todas as cinco pessoas acusadas de tentativa de homicídio contra os pescadores também foram consideradas culpadas, enquanto os quatro acusados ​​de tentativa de homicídio nos ataques contra ativistas de esquerda foram considerados culpados da menor acusação de causar danos corporais. Das 43 pessoas em julgamento por filiação a uma organização criminosa, 15 foram absolvidas e as restantes consideradas culpadas.

Dos 68 arguidos, apenas 11 estiveram presentes, sendo os restantes representados pelos respectivos advogados. Nenhum dos ex-legisladores do Aurora Dourada estava no tribunal.

Histórico recente do Aurora Dourada

Formado em 1980, o partido nacionalista grego Aurora Dourada é frequentemente mal representado na mídia politicamente correta dominante, que regularmente aplica rótulos como “neonazista”, embora esse termo seja rejeitado pelo partido. Antes da prisão e acusação de seus líderes, em 2012, o partido obteve 7% dos votos eleitorais, tornando-se a terceira maior força política da Grécia.

Durante a crise financeira de 2008 promovida pelos banqueiros via União Europeia, o Aurora Dourada foi um dos únicos partidos que votou “não” no parlamento contra o “pacote de salvamento”, ou de “dívida” imposto para a Grécia como saída financeira pelo Banco Europeu encabeçado pela Alemanha da chanceler Merkel, diferente do SYRIZA, partido no poder naquele momento que, desrespeitando a opinião popular que também era contra a aceitação, aceitou os termos internacionais de dívida para o país, perdendo de vez qualquer chance de autonomia frente seu endividamento público. O Aurora Dourada também foi um dos únicos partidos do Parlamento a votar contra a abertura total de fronteiras da Grécia, entrada para a Europa, da imigração em massa promovida por agentes privados e governamentais pela Europa, que se intensificou catastroficamente em 2015.

Pessoas aguardam em fila para receber sextas de comida e mantimentos distribuídas gratuitamente pelo partido nacionalista grego Aurora Dourada em Atenas, 2012. Representantes do grupo disseram que a ação é voltada apenas para cidadãos gregos, e não para imigrantes. Imagem: Louisa Gouliamaki/AFP

Na mesma época em que membros do partido foram acusados da morte do rapper antifa Pavlos Fyssas, dois membros do partido foram assassinados a sangue frio em frente a sua sede em Atenas. O crime nunca foi solucionado e o assassino nunca foi encontrado.

O Aurora Dourada, diferente de como a militância progressista de esquerda e a mídia tenta colocar, recebeu muito apoio da população grega como um todo quando ficou famoso mundialmente por distribuir comida e mantimentos aos populares gregos nas cidades com sua verba parlamentar e prestar auxílio para as famílias gregas na época aguda da crise financeira causada pelos liberais de direita e esquerda.


VISITE A LIVRARIA SENTINELA

Sentinela Mídia Independente
siga em
Nos ajude a espalhar a palavra:
Gostou do artigo? Você pode contribuir para o site com uma doação:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.