Coletes amarelos retomam protestos na França e ato termina com 200 presos

Nos ajude a espalhar a palavra:

PARIS – Enquanto protestos da estranha e sem rosto Black Lives Matter andam por aí mundo afora com apoio da mídia internacional, ampla divulgação da esquerda globalista e dos liberais de plantão, o movimento dos Coletes Amarelos é duramente reprimido, pelo isso foi aquilo que aconteceu na França neste último sábado.

Os protestos dos Coletes Amarelos foram retomados neste sábado, 12, em Paris, e terminaram com a prisão de pelo menos 200 pessoas, segundo as autoridades oficiais francesas. Os manifestantes gritaram contra o presidente Emmanuel Macron e pediam por amparo aos mais pobres e as classes mais atingidas pelo lockdown e a pandemia do novo coronavírus.

LEIA MAIS

Não é a primeira vez que as autoridades francesas reprimem com extrema violência os protestos dos Coletes Amarelos. Muitos que os apoiam estão sendo caçados e censurados, como é o caso de Alain Soral e Dieudonné M’bala

Desde as primeiras horas das manifestações em Paris, o departamento de polícia fez questão de divulgar a quantidade de detidos e mostrou imagens de objetos apreendidos e pessoas sendo abordadas. Em algumas, que foram exibidas por emissoras de televisão francesas, manifestantes aparecem incendiando lixeiras e erguendo barricadas diante da polícia, que respondeu com bombas de gás lacrimogêneo.

Além de Paris, diversas capitais de províncias da França tiveram protestos dos “coletes amarelos”.

Apoio político e a insatisfação dos nativos

Apesar de lideranças de esquerda, como Jean-Luc Mélenchon e Fabien Roussel, apoiarem os atos, muitos nacionalistas apoiam os Coletes Amarelos como forma efetiva de demonstração da insatisfação dos cidadãos nativos frente às reformas tributárias, a imigração massiva e a mentalidade globalista impostas em países como a França. É o caso de  Marine Le Pen e Marion Maréchal, do Rassemblement National.


CONFIRA NA LIVRARIA SENTINELA

Sentinela Mídia Independente
siga em
Nos ajude a espalhar a palavra:
Gostou do artigo? Você pode contribuir para o site com uma doação:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.