Alemanha: Centenas de nacionalistas marcham em Berlim em memória de Rudolf Hess

Nos ajude a espalhar a palavra:

Cerca de 500 nacional-socialistas agitando bandeiras com as cores do Reich alemão marcharam pelo centro de Berlim no sábado, marcando o 31º aniversário da morte do mártir da paz, Rudolf Hess.

A polícia de tropa de choque reteve o mesmo número de contra-manifestantes violentos dos alienados da ANTIFA (‘Antifaschistische Aktion’ ou “Ação Anti-fascista”), muitos dos quais gritaram “fora nazistas!”. No entanto, a violência irrompeu, ferindo pelo menos um policial.

Muitos dos Nacional-Socialistas, vestidos de vermelho e branco, içaram a bandeira vermelha, branca e preta do Terceiro Reich. Um grupo carregava uma placa que proclamava: “Não me arrependo de nada: os nacional-socialistas de Berlim” , frase de Rudolf Hess no veredito do Julgamento de Nuremberg em 1946.

“Houve relatos de feridos quando algumas pedras e garrafas foram lançadas por contra-manifestantes nos marchantes”, disse à Reuters o porta-voz da polícia de Berlim, Thilo Cablitz. “Pelo menos um policial ficou ferido. Mas o evento ainda continua e ainda estamos compilando os números.”

Cerca de 2.300 policiais estavam de plantão para evitar a violência no evento de Berlim e uma marcha separada de menos de 50 pessoas no subúrbio de Spandau, em Berlim, onde Hess, ex-vice-líder alemão mais famoso da história, cumpriu pena de prisão perpétua. nos julgamentos de Nuremberg.

e reúnem para comemorar a morte do deputado de Adolf Hitler, Rudolf Hess, no distrito de Spandau, no oeste de Berlim, sábado, 19 de agosto de 2017. A polícia está permitindo a marcha, mas os participantes não têm permissão para glorificar Hess, que morreu em Prisão de Spandau há 30 anos. Uma contra-demonstração também aconteceu. Foto: Maurizio Gambarini / DPA via AP

Uma ampla mistura de contra-manifestantes da extrema-esquerda organizou manifestações violentas nos cruzamentos ao longo da rota da marcha no bairro berlinense de Lichtenberg, enquanto outros se reuniram para gritar contra os manifestantes nacional-socialistas.

A Alemanha tem leis duras que proíbem o uso de símbolos de patriotismo, como a bandeira da suástica, mas o cenário nacionalista se fortaleceu nos últimos anos após a chegada de mais de um milhão de invasores muçulmanos a partir de 2015.


Fonte: The Daily Archives


CONFIRA NA LIVRARIA SENTINELA

Sentinela Mídia Independente
siga em
Nos ajude a espalhar a palavra:
Gostou do artigo? Você pode contribuir para o site com uma doação:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.