África do Sul: grande protesto de motociclistas contra assassinatos em fazendas

Nos ajude a espalhar a palavra:

Dezenas de milhares de motociclistas participaram de um protesto contra os horríveis assassinatos em fazendas do país no sábado. Na Cidade do Cabo, uma tentativa de motociclistas de entregar uma petição ao prédio do parlamento levou a confrontos entre a polícia e os manifestantes, com um oficial negro agredindo um motociclista branco e outro sacando sua arma contra um manifestante desarmado.

Longas procissões de motocicletas convergiram para a maioria das principais cidades da África do Sul, incluindo Pretória, Cidade do Cabo, Port Elizabeth, Bloemfontein, Kimberley, Harrismith e Welkom. Os motociclistas, geralmente em casais com marido e mulher, carregavam cruzes brancas e cartazes. As duas questões contra as quais se protestou foram assassinatos em fazendas e racismo anti-branco do regime do ANC [Congresso Nacional Africano].

No Union Buildings, em Pretória, os motociclistas foram proibidos pela polícia de entrar nos gramados abaixo da sede do governo, uma medida bastante incomum, já que os protestos são frequentemente realizados nos gramados. No entanto, os motociclistas pregaram cruzes brancas contra a cerca ao redor dos gramados e realizaram orações em massa em inglês e afrikaans no local.

Motociclistas a caminho de Pretória para o protesto, que incluiu parapentes no ar. Foto: BoerMedia (divulgação).

De acordo com as estatísticas dos pedágios nas autoestradas, cerca de 41.000 motocicletas passaram pelos portões a caminho de Pretória.

Na Cidade do Cabo, a polícia se tornou agressiva quando os motociclistas reclamaram de não poderem levar uma petição ao prédio do parlamento daquela cidade. A polícia atirou um motociclista de sua motocicleta, usou os punhos contra ele e um policial negro chegou a apontar a arma para um motociclista desarmado, o que levou a multidão a gritar “f***, fora polícia”. (Veja o vídeo abaixo mostrando o incidente).

Havia tensão racial no ar, já que a maioria dos policiais eram negros, nomeados pelo governo central, enquanto quase todos os motociclistas eram brancos. Ao contrário do resto do país, os negros são uma minoria demográfica na Cidade do Cabo e na província do Cabo Ocidental. A polícia usou gás lacrimogêneo e granadas de choque contra os motociclistas.

Dezoito motociclistas foram presos na cidade costeira e deveriam comparecer ao tribunal na segunda-feira, 31 de agosto, sob a acusação de violência pública, resistência à prisão e atentar contra fins de justiça.

No Twitter e em outras mídias sociais, a hashtag #VoetsekANC esteve em alta nas últimas semanas e a ação policial na Cidade do Cabo deu mais ímpeto ao sentimento anti-ANC, com escândalos de corrupção em torno dos líderes do ANC estando nas manchetes diárias.

A pequena cidade de Bloemfontein, no centro do país, estava lotada com mais de 500 motociclistas, incluindo casais e até famílias inteiras com crianças.

Um agricultor do Free State Agriculture, PC Bester, disse: “Definitivamente, nunca houve tantas motocicletas em um local em Bloemfontein”.

A Free State Agriculture, o sindicato dos agricultores da província, divulgou um comunicado apoiando os motociclistas e outros manifestantes na divulgação do mal dos assassinatos de fazendas e crimes violentos. TAU, a União Agrícola Transvaal, também saudou o protesto.


Fonte: Free West Media. Publicado originalmente em 31 de agosto de 2020


CONFIRA NA LIVRARIA SENTINELA

Sentinela Mídia Independente
siga em
Nos ajude a espalhar a palavra:
Gostou do artigo? Você pode contribuir para o site com uma doação:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.