Terra de Sol – Gustavo Barroso

R$60,00

226 páginas.

ISBN: 85-7536-108-2

CDD 918.131 / 307.72 / 551.5773

Fora de estoque

Categoria:

Descrição

Nos ajude a espalhar a palavra:

“Aqui o sertão, o que era, foi, não é mais.

Diz-se por esses dias: interior. O sertão virou mar, como no verso popular. No Ceará, temos de reconhecer, a terra deixou-se invadir por açudes e canais. Por isso deve ter pressa, toda pressa o leitor para conhecer esse livro, espécie de inventário de inesperado território abrasado de sóis, mas de luares deslumbrantes e madrugadas deliciosas que nunca deviam amanhecer.

Chão irredento, ciclicamente cruel, onde o verde, pela estação das águas, põe mistérios de moça virgem. Chão esculpido com cinzel de Gustavo Barroso, que o lavrou perpetuando a verdadeira natureza humana que os novos dias tentam apagar.

A toda certeza é o ontem – constituído de belezas naturais – que fulge nas páginas de “Terra de Sol”; fulge, refulge.

Inventário, falei errado, breviário.

Aqui, no itinerário de bela prosa desataviada, ousada e paradoxalmente enternecedora, o sertão do Ceará como foi. E são (eram) hábitos, costumes, superstições. Sente-se a chuva, podem-se ver, grávidos, os rios cheios, desatando vida, despertando a babugem pelas barreiras antes consumidas pelo sol. Há mil odores, o primeiro de terra molhada, o segundo de gado pisando estrume em currais que despertam desejo ao leite mungido.

Não faltam as cores primárias na natureza, e também nas casas, na toda gente que se veste para viver e morrer.

O homem nunca está só. Tem cavalo – e como existiam!, tem cão; tem caçador, abundante a caça. Avoantes, um caso à parte.

Andejo é, mas sem largar a mulher, criatura boa de trabalho, boa também na rede e na cama de varas.

Livro mais que livro, esse que chega às mãos do leitor.

Retrato nítido, que em momento de rara inspiração de seu fotógrafo, fixou de modo indelével o Ceará como era, foi, foi-se.

Ceará que não existe mais.

Livro entranhado de emoção, de amor à natureza; livro cheio de sertão, quando o sertão não se chamava simplesmente interior…”

Eduardo Campos, do Instituto do Ceará (Histórico, Geográfico e Antropológico)

Siga em:

Sentinela

Site formado em 2013 com foco em história não oficial do Brasil e geral, política, filosofia, economia, cultura e etc.

Com foco geral em análises de um ponto de vista da Terceira Posição Política e do Revisionismo histórico, nossa missão e visão consiste em trazer a verdade (assim como questioná-la, já que nenhuma verdade é absoluta) sobre uma ótica diferente do habitual.

Pense diferente.
Siga em:
Nos ajude a espalhar a palavra:

Informação adicional

Dimensões 23 × 16 × 2 cm
Ano

2006

Autor

Gustavo Barroso

Edição

Editora

ABC Editora

Você também pode gostar de…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.