fbpx
Nos ajude a espalhar a palavra:

Poucos dias depois de lançar sua nova política obrigando os usuários a compartilhar seus dados com o Facebook, o WhatsApp sofreu uma violação de privacidade embaraçosa, com seus grupos de bate-papo privados sendo indexados na ferramenta de busca do Google.

A violação de privacidade foi relatada no domingo. Links de convites para grupos de mensagens privadas do WhatsApp, bem como alguns perfis de usuários, foram indexados pelo Google e apareceram nos resultados de pesquisa, o que basicamente significa que qualquer um podia entrar em chats supostamente seguros e ver os chats e os números de telefone relacionados.

O problema foi prontamente resolvido pelo WhatsApp, e os links expostos desapareceram dos resultados da pesquisa. O problema parecia ter sido semelhante a uma violação de privacidade de bate-papos e informações do usuário relatada no início de 2020.

No comunicado da empresa sobre a violação, ela insistiu que a segurança do aplicativo melhorou muito desde o vazamento do ano passado e deixou implícito que os próprios usuários foram os culpados pelo respingo do Google no fim de semana.

VISITE NOSSA LIVRARIA

 

“Desde março de 2020, o WhatsApp incluiu a tag ‘noindex’ em todas as páginas de links diretos, o que, de acordo com o Google, irá excluí-las da indexação” , disse ao Gadgets 360 oultet, exortando os usuários a não postar links de convite em locais acessíveis ao público para mantê-los bem longe dos mecanismos de pesquisa.

Como todo conteúdo compartilhado em canais públicos pesquisáveis, os links de convite postados publicamente na internet podem ser encontrados por outros usuários do WhatsApp. Links que os usuários desejam compartilhar em particular com pessoas que conhecem e em quem confiam não devem ser postados em um site de acesso público.

O incidente ocorre dias depois que o WhatsApp lançou sua nova política altamente polêmica, obrigando os usuários a compartilhar seus dados privados com sua empresa-mãe, o Facebook, ou a deixar a plataforma se não consentirem.

A empresa disse que as informações coletadas seriam usadas para “ajudar a operar, fornecer, melhorar, compreender, personalizar, oferecer suporte e comercializar nossos serviços”. Ele reconheceu que monitora o conteúdo dos usuários para “combater spam, ameaças, abusos ou atividades de violação” e “melhorar” a experiência do WhatsApp.


Fonte: RT
Publicado em 11 de janeiro de 2021


VISITE NOSSA LIVRARIA

Redação
siga em
Nos ajude a espalhar a palavra:

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Ativar Notificações    OK No thanks