fbpx

Esta semana a nova série animada natalina de Seth Rogen e Sarah Silverman da HBO Max divulga seu primeiro Trailer, e o público já mostrou sua indignação. A animação aparenta ser mais uma animação natalina típica para o final do ano porém não demora muito para perceber que se trata de uma animação de humor adulto com a intenção de sacanear com a tradição do Natal com suas piadas de mal gosto e profanas.

O que indignou a grande maioria do público não foi as piadas adultas mas o enredo da série. Na história o Papai Noel está prestes a se aposentar e um substituto precisa ser escolhido, assim entra a personagem de Sarah Silverman, como uma elfa que trabalha para o Papai Noel que tem o sonho de um dia vestir suas vestes vermelhas. Até o momento é uma boa premissa para uma história natalino, porém no desenrolar da história a série demonstra toda a sua futilidade. O sonho da pequena elfa é ridicularizado por ela ser uma elfa, e para um ser Papai Noel ela precisaria ser Branca, Homem e Hétero, então assim começa a jornada da nossa protagonista contra o patriarcado machista do Natal. Pelo trailer é possível ver o mal gosto de como eles generalizam e atacam com ódio o “Homem Branco Hétero” com a intenção de ridicularizar e humilhar o que hoje é no ocidente (Pelo menos continua sendo) a maioria da população.

A animação deixa a entender que o Natal é uma comemoração racista e machista que deve acabar, pelo menos da maneira como é, e sempre foi, apresentado. O fato da série ser uma animação, mesmo que adulta, mostra um interesse de apelo para o público infantil. Independente da classificação indicativa, os produtores sabem que as crianças vão assistir. Em resumo, a animação é um ataque direto a tradição natalina comemorada no ocidente desde que foi estabelecida pela Igreja com o nascimento de Cristo, ou até mesmo nas eras pagãs com o solstício de inverno, ou seja, desde sempre. O Natal faz parte da nossa história e da nossa tradição, compõe quem nós somos. Claro que Seth Rogen e Sarah Silverman não possuem problema nenhum ao atacar o natal, já que ambos são de famílias judaicas não comemoram ou reconhecem o Natal e o nascimento de Cristo, porém ao fazer um ataque direto a tradição majoritária da qual eles não pertencem, agora estão sofrendo com a repercussão negativa demonstrada pela internet.

O Trailer divulgado recebeu uma enxurrada de dislikes o que levou o YouTube estranhamente na mesma semana ocultar essa ferramenta. Com motivações de “combater o ódio” hoje o Youtube só demonstra o número de likes que um vídeo ou comentário recebeu, somente feedbacks positivos para assim acabar com o ódio (que fofo). Mas isso não impediu que alguns dos usuários conseguissem burlar esse bloqueio para acessar o contador de dislikes, descobrindo que até o momento o Trailer possuí 70 mil dislikes contra apenas 2 mil likes, sendo o recebimento do publico um total fracasso. Mesmo com o YouTube bloqueando os dislikes, os usuários estavam bombardeando a sessão de comentários do vídeo, todos indignados e cansados com a “lacração” progressista liberal vigente em nossa sociedade nos dias de hoje. Não demorou muito para eles censurarem e desativarem a sessão de comentários do vídeo. Logo vão acusar da repercussão negativa ter sido causada por “Trolls, Haters e Reacionários” como tipicamente fazem. O “combate ao ódio” que está sendo travado na internet, conhecido também como o politicamente correto, só serve para calar a voz daqueles indignados que querem expressar sua revolta, mas se a sua opinião ferir os sentimentos de outrem ou principalmente das corporações gananciosas que não se preocupam com a voz do consumidor, você será incapacitado de se expressar.

A censura contra aqueles que ousarem criticar demonstrando um víeis diferente daquele que a mídia mainstream impõe fará com que sua voz seja censurada. A internet forneceu para as pessoas um lugar onde elas podem se expressar, para que milhões de pessoas possam ouvi-las, foi através dessa liberdade que fez com que o mundo político e de comunicação perdesse totalmente suas credibilidades. Fica mais difícil mentir quando qualquer um pode, com inteligente, encontrar a verdade na palma de suas mãos através de seu smartphone. A grande mídia possuí medo da internet, e por essa razão querem controla-la limitando e censurando com quem discorde.


Fonte: Ryan Kinel – RK Outpost

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Quer receber nossas notificações?    SIM! Não, obrigado (a)