O que se passa: Isto é democracia

Nos ajude a espalhar a palavra:

Este vocábulo assumiu definitivamente a liderança entre os bordões mais usados. Mereceria mesmo as loas que lhe vêm sendo dirigidas como sendo o “governo do povo”, ou também o “governo do povo exercido pelos seus representantes”. Com esta segunda definição procura-se uma aproximação mais consistente. Mas seriam eles, estes representantes, mesmo representantes do povo, já que foram eleitos pelo povo?

Pergunto porque antes de se candidatar, foram escolhidos pelo presidente do partido político. E não é este o homem da verba, o que faz a distribuição do fundo partidário? Neste hora me parece que o povo já ficou longe. E no nosso caso do Brasil, como é que fica a da representação política? Teoricamente um partido representa um segmento da sociedade, então como é que se definem esses segmentos num universo de trinta e tantos partidos como é o nosso caso? Será que um partido político que aposta no voto dos pobres, dos menos favorecidos, quando eleito para o governo, vai trabalhar para reduzir esse contingente, melhorando suas condições de vida?

Não me cabe propor solução, mas sou contra a enganação. Acho que não há quem não conheça Ângela Merkel. Já foi considerada mulher mais poderosa o mundo, líder de fato da União Europeia, chanceler da Alemanha há 15 anos, chefe do maior partido do país a União Democrata-Cristã (CDU). Era um partido de centro-direita, que hoje age como esquerda radical. Não é para menos. A Merkel era da liderança da Juventude da Alemanha Oriental, constituída pela Zona Soviética de Ocupação. A mulher é portanto de formação marxista. Pois esta mulher, louvada nos quatro cantos da terra, mandou o vencedor da recente eleição no estado da Turíngia renunciar. O motivo: O eleito venceu com ajuda dos votos da AfD, partido que a Merkel chama de populista.

Lembrando: Merkel é quem comanda a substituição étnica em curso no Europa. Mui democrático!

Coronavírus

Vem movimentando os noticiários. Isto agora é comum. Lembro que em 2010 eu escrevi e está publicado em “A Paz que Não Houve”, página 119:

“DOGMA DA GRIPE SUINA, que visa criar uma histeria em massa, dando um fantástico impulso à produção de determinado medicamento e, principalmente, ocasionando a produção de incalculável número de vacinas, obrigando os governos a fazer enormes gastos na estocagem e aplicação. Tudo isto sob patrocínio da OMS – Organização Mundial da Saúde, cujos principais conselheiros pertencem ao império fármaco-produtor. Sempre houve mutações do vírus da gripe, sempre houve casos fatais como em qualquer enfermidade. Mas agora tudo foi mercantilizado. O objetivo não é mais cuidar da saúde. O objetivo é vender! Em meados de julho de 2009 contava-se com um total até então de 441 mortes, mundialmente insignificante. Entretanto, um mês antes, no dia 11 de junho a OMS já divulgava o Alerta de Pandemia em grau máximo.”

E assim foi no caso do Vírus Ebola, da Gripe Aviária, H1N1 etc. Os grandes produtores de remédios e vacinas não perderão as oportunidades de dramatizá-las. Diferente foi o caso da epidemia de gripe que mais ceifou vidas, a Gripe Espanhola. Era 1918. A guerra terminara e grandes concentrações de soldados esperavam o transporte de volta às suas terras. Na época, a aspirina (AAS) havia chegado ao auge com a fama de remédio miraculoso. Acabava com uma febre na hora. Consta então que foi largamente utilizada aos primeiros sinais de febre, impedindo que essa primeira defesa do organismo exercessem sua função natural. Assim teria se permitido que a mortalidade do vírus atingisse índices extraordinários.

No caso atual, parece que a ameaça maior está sendo vista mais no fato de estar se desenvolvendo no país mais populoso do mundo, que, reduzindo sua atividade econômica, consumindo e produzindo menos, venha a afetar a economia mundial.

Aguardemos.

Fonte: Blog do Toedter

Publicado originalmente em 18 fev. 2020.

Norberto Toedter
Últimos posts por Norberto Toedter (exibir todos)
Nos ajude a espalhar a palavra:
Gostou do artigo? Você pode contribuir para o site com uma doação:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.