O revisionismo do holocausto é ilegal?

Nos ajude a espalhar a palavra:

Nos Estados Unidos, a liberdade de opinião é protegida pela 1ª emenda da Constituição. Seja a exposição pacífica e/ou acadêmica na forma escrita e/ou oral, o pensamento revisionista não é tolhido pelo código penal. Mas as coisas mudam rapidamente se voltamos nossos olhares para países como o Canadá, Austrália, diversos países da Europa e Israel.

A razão para essa perseguição é a acusação de que as teorias revisionistas insultam os judeus, que seria ilegítimo ofender aqueles que foram feridos na Segunda Guerra Mundial. Embora o revisionismo do Holocausto não se refira aos judeus como tal (ainda que alguns revisionistas assim o façam), os líderes da maioria das comunidades israelitas se sentem muito ofendidos. A razão aqui seria, o revisionismo conclui – direta ou indiretamente – que muitos judeus não foram sempre fieis e honestos em seus testemunhos sobre suas experiências na Segunda Guerra.

Países onde questionar o Holocausto judaico é proibido por lei nacional. IMAGEM: www.inacreditavel.com.br

É claro que seria inacreditável, se os judeus fossem o único grupo identificável de humanos que nunca mentiu, distorceu, exagerou ou simplesmente cometeu algum engano. Mas aparentemente as lideranças dos judeus e as autoridades de muitos países ocidentais concordam que ninguém tem o direito de acusar alguns judeus por proferirem falso testemunho sobre o Holocausto. Entretanto, ao nos debruçarmos sobre a situação legal, nós temos que insistir: o revisionismo deveria ser perfeitamente legal em todos esses países. E isto se deve ao fato de todos terem assinado junto à ONU a Declaração dos Direitos Humanos, o que confere força legal a esses direitos. A liberdade de expressão pode ser limitada apenas no incitamento a atos de violência, mas a liberdade de pesquisa científica e o discurso pacifista nunca poderiam ser limitados – pelos menos teoricamente.

Por esta razão, uma dissertação jurídica na Alemanha sobre a criminalização da mentira de Auschwitz (‘Die Strafbarkeit des Auschwitz-Leugnens’) chegou à conclusão de que o revisionismo do Holocausto não pode ser suprimido legalmente, pois isso viola um Direito Humano básico. Entretanto, os fatos apontam para uma realidade diferente.

Ideal x Realidade

Então, como podemos explicar tal discrepância entre o ideal e a realidade? Como justificativa para esta flagrante violação dos Direitos Civis, alega-se que o ponto de vista revisionista, mesmo se apresentado racionalmente e sem qualquer palavra inflamatória, poderia instigar as pessoas a cometer atos ilegais contra terceiros (principalmente judeus) ou poderia até mesmo ameaçar a “paz social”. Mas se analisarmos a questão do lado puramente racional, factual e com alegações substanciadas, tal procedimento nunca poderia causar tais ações, independente de quão controverso seja o assunto ou que venha a violar certos dogmas. Se as pessoas reagem desproporcionalmente a tais textos, é claro que o problema está nessas pessoas – em sua educação e formação social – ou até mesmo na própria sociedade por ter criado artificialmente esse tabu.

Alegação de ameaça a “ordem vigente”

A alegação de que a discussão factual sobre a perseguição dos judeus pudesse inflamar os ânimos, é simplesmente uma mentira. Se esse método fosse aplicado universalmente, ele poderia ser usado indevidamente para a proibição de cada um e de tudo, se ao menos existisse algum grupo influente que se sentisse suficientemente perturbado. De fato, o conceito de “paz social” é uma ferramenta autoritária perfeita para suprimir qualquer visão controversa, por mais legítima que seja.

Arte de Ben Garisson I grrrgraphics.com

A única regra necessária para regular a liberdade de expressão é a seguinte: tudo é permitido, desde que não se exija, promova, tolere ou justifique a violação dos direitos civis dos outros cidadãos. Uma vez que todos os atos que realmente ameaçam a paz pública, como apelos por uma revolução violenta, insurreição, golpe, motim, pogrom, limpeza étnica etc, são clamados tendo em vista a violação dos direitos civis dos outros cidadãos, o conceito de “paz social” se torna obsoleto e não pode mais ser usado pelas autoridades para reprimir pontos de vista pacíficos, porém controversos.

Incentivo de “perseguição à minorias”

Outra justificativa para as leis opressivas anti-revisionistas, em particular nos países de língua alemã, segue mais ou menos a seguinte “lógica torta”: a fim de evitar que minorias sejam novamente perseguidas, os dissidentes presos e os livros queimados, como aconteceu no passado, devemos, por uma mudança, perseguir outras minorias, prender outros dissidentes e queimar seus livros!

Essa perversão da lógica dispensa comentários. Por isso, estamos lidando “democraticamente” com algumas leis, ainda que tirânicas, permitindo que a maioria reprima uma minoria pacífica, pura e simples assim! Portanto, não é o revisionismo do Holocausto que é ilegal, mas as leis que o proíbem.

No Brasil

Ainda não é proibido nem sequer restringido, permanecendo a soberania da nossa Constituição de 1988 em seu artigo 5º, inciso IX fala da Liberdade de Expressão, vedado o anonimato.

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: […]

IX- é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;”

Mas desde 2007 existe a PL (Projeto de Lei) 987/2007, elaborado pelo ex-deputado federal pelo Rio de janeiro, Marcelo Zaturansky Nogueira Itagiba (PMDB/RJ) que, altera a redação do artigo 20 da Lei nº 7.716 de 1989 que define quais são os crimes de preconceito de raça ou de cor no Brasil, penalizando quem negar a ocorrência do Holocausto (sic!) ou de outros crimes contra a humanidade, com a finalidade de incentivar ou induzir a prática de atos discriminatórios ou de segregação racial.

Este projeto de lei, em andamento, pronto para ser visto no plenário federal, foi anexada junto à outro projeto de lei (PL 6418/2005) de autoria do Senador Paulo Paim (PT/RS), que já está pronta para entrar na votação do plenário também, cuja ideia é substituir a citada lei acima do artigo 20 da Lei nº 7.716 definindo os crimes resultantes de discriminação e preconceito de raça, cor, etnia, religião ou origem, incluindo o crime de discriminação no mercado de trabalho, injúria resultante de preconceito, apologia ao racismo, atentado contra a identidade étnica, religiosa ou regional e associação criminosa, tornando-os crimes inafiançáveis e imprescritíveis.

Mais um vez, vemos aqui, além de uma inflação normativa, ou seja, quando um termo ou definição, no caso o do “racismo”, começa a perder seu sentido para determinar as mais diversas coisas possíveis e imagináveis (vide STF sobre ‘criminalização da homofobia’), ainda assim, temos um embate direto com a Lei suprema do país, a Constituição Federal de 1988, que claramente não exime de forma alguma a liberdade de pesquisa e opinião fundamentada pautando-se assertivamente no elemento da Dignidade da Pessoa Humana que fundamenta o Direito Brasileiro.

Olhar para o passado é aprender para o futuro…

O estadunidense Henry David Thoreau explanou muito bem quando escreveu há 160 anos (em oposição à guerra e à escravidão):

“Leis injustas existem: devemos nos contentar em obedecê-las, ou devemos nos empenhar em emendá-las e obedecê-las até que tenhamos obtido sucesso, ou iremos transgredi-las imediatamente? Os homens geralmente, sob um governo como esse, acham que devem esperar até que persuadam a maioria a alterá-los. Eles pensam que, se resistirem, o remédio seria pior que o mal. Mas é culpa do próprio governo que o remédio seja pior que o mal. Isso piora. Por que não é mais apto a antecipar e prover a reforma? Por que não valoriza sua sábia minoria? Por que chora e resiste antes de ser ferido? Por que não encoraja seus cidadãos a ficarem alertas para apontar suas falhas e fazer melhor do que eles teriam? Por que sempre crucificam a Cristo e excomungam Copérnico e Lutero, e pronunciam os rebeldes Washington e Franklin? […]

Uma minoria é impotente enquanto se conforma com a maioria; nem sequer é uma minoria; mas é irresistível quando entope todo o seu peso. Se a alternativa é manter todos os homens justos na prisão, ou desistir da guerra e da escravidão, o Estado não hesitará em escolher. […]

Sob um governo que aprisiona qualquer um injustamente, o verdadeiro lugar para um homem justo também está na prisão.”

Ou, como Mahatma Gandhi, que foi inspirado pelo ensaio de Thoreau, 70 anos depois, disse:

“Enquanto existir a superstição de que os homens devam obedecer a leis injustas, até então existirá a escravidão.”

Publicado originalmente em 30/7/2019.

Fonte: Inacreditável

Siga em:

Marcelo Franchi

Fundador e proprietário em inacreditavel.com.br
Engenheiro brasileiro Mestre em estruturas é MBA em Marketing e historiador. É também fundador e proprietário do Portal inacreditavel.com.br.

Morando por cinco anos na Alemanha onde teve contato com diversas questões polêmicas relativas aos fatos históricos do holocausto judaico e do período nacional-socialista naquele país, notando que muitas delas não chegavam ao conhecimento do grande público teve interesse no ano de 2006 de criar o site www.inacreditavel.com.br com o intuito de possibilitar o debate de aspectos históricos controvertidos.
Marcelo Franchi
Siga em:

Últimos posts por Marcelo Franchi (exibir todos)

Nos ajude a espalhar a palavra:

4 thoughts on “O revisionismo do holocausto é ilegal?”

    1. “Os nazistas e SS compartilhavam sua comida e remédios e muito mais com os judeus – até os últimos dias da guerra!” http://www.nazigassings.com/index.html A horrível escassez de alimentos na Alemanha, muito antes de 1945, foi o resultado direto do bloqueio britânico feito muito pior pelos Estados Unidos, mesmo antes de Pearl Harbor. Agricultores alemães trabalhando em seus campos eram vistos como alvos “legítimos” por aviadores norte-americanos covardes como Chuck Yeager, como ele explicou em sua autobiografia ( Yeager , pp. 79-80). Era muito mais seguro atacar fazendeiros alemães (por liberdade e democracia, é claro) do que soldados que tinham uma péssima tendência a atirar de volta. Quase todo mundo estava morrendo de fome na Alemanha durante a guerra. Esse foi o principal resultado da típica estratégia britânica desde o início, do seu “ Sitzkrieg” estratégia. Os diabólicos nazistas poderiam ter aliviado dramaticamente sua desesperada situação alimentar “exterminando” judeus inúteis e improdutivos como Anne Frank, Elie Wiesel e Ada Bimko e muitos outros – mas eles não fizeram nada disso. Eles foram acusados ​​disso depois da guerra – mas, na verdade, eles compartilharam a pouca comida que tinham, mesmo com os judeus. Os judeus não foram atacados com gás ou ceifados como prisioneiros alemães pelos criminosos assassinos de Patton. No vídeo histórico abaixo, Ada Bimko explica que os nazistas haviam tirado a chochura dos pacotes da Cruz Vermelha destinados apenas a eles (aparentemente, eles deixaram o resto). Oh, meus demônios! Se essa história tiver alguma verdade, talvez alguns dos nazistas tivessem realmente sentido que já era hora de os judeus compartilharem um pouco de chocolate com eles, e assim por diante.

      A imagem a seguir é do filme do governo americano: ” Campos de concentração nazistas “, que usava apenas fotografias militares oficiais e imagens de filmes reunidas pelo Departamento de Defesa dos EUA para os julgamentos de crimes de guerra. Veja: https://archive.org/details/nazi_concentration_camps

      “Em 15 de abril de 1945, os comandantes de Belsen entregaram o acampamento às tropas britânicas, que não perderam tempo em maltratar o pessoal do campo da SS. Os alemães foram espancados com pontas de fuzil, chutados e esfaqueados com baionetas. A maioria foi baleada ou trabalhou até a morte.” http://www.ihr.org/jhr/v15/v15n3p23_Weber.html

      O dia em que Hitler salvou o mundo

      Holocausto em Wall Street

      Desde 2007. os EUA impuseram uma forma paralisante de socialismo a si mesmos para proteger, NÃO seu próprio povo em geral, mas um punhado das organizações criminosas mais completamente corruptas do país: bancos de “investimento” de Wall Street e outras instituições como a AIGe Goldman-Sachs. O fato de os mais proeminentes serem dominados pelos judeus não é coincidência – e a resposta também não é coincidência. O capitalismo funciona quando permite que empresas que administram mal seus negócios desmoronem. Por mais doloroso que seja para os acionistas, é isso que faz o capitalismo funcionar sempre que ocorre. Após esse colapso, os acionistas só podem receber 5 centavos de dólar por seus investimentos originais – mas pelo menos recebem algo com o qual investir de novo, talvez mais sabiamente, em empresas novas e melhores. Essa é a chave para o sucesso do capitalismo. O colapso na verdade disponibiliza muito capital para algo melhor. E as pessoas encarregadas desse novo capital aprenderam através de sua dor a serem mais sábias e mais cuidadosas também. O sistema se limpa quando se tem algo parecido com o capitalismo real. No entanto, o que está emergindo nos EUA e em outros lugares é o protecionismo para os cleptomaníacos de Wall Street e seus seguidores, cuja ganância e desonestidade ilimitadas os colocaram em grandes problemas. Eles não mereciam resgate ou simpatia, mesmo se fossem judeus. Mas a nova realidade nos EUA é que os vigaristas e seus seguidores gananciosos também são enormemente dominantes politicamente – e uma das chaves de seu poder é a propaganda do holocausto. Por que os judeus deveriam sofrer alguma dor, mesmo que seja apenas uma dor financeira? Quem se atreveria a invejar os pequenos queridos, o que quer que eles possam roubar depois de tudo o que supostamente suportaram durante aquele outro holocausto sob Hitler e o socialismo nacional? Bernie O que está surgindo nos EUA e em outros lugares é o protecionismo dos cleptomaníacos de Wall Street e seus seguidores, cuja ganância e desonestidade ilimitadas os colocaram em grandes problemas. Eles não mereciam resgate ou simpatia, mesmo se fossem judeus. Mas a nova realidade nos EUA é que os vigaristas e seus seguidores gananciosos também são enormemente dominantes politicamente – e uma das chaves de seu poder é a propaganda do holocausto. Por que os judeus deveriam sofrer alguma dor, mesmo que seja apenas uma dor financeira? Quem se atreveria a invejar os pequenos queridos, o que quer que eles possam roubar depois de tudo o que supostamente suportaram durante aquele outro holocausto sob Hitler e o socialismo nacional? Bernie O que está surgindo nos EUA e em outros lugares é o protecionismo dos cleptomaníacos de Wall Street e seus seguidores, cuja ganância e desonestidade ilimitadas os colocaram em grandes problemas. Eles não mereciam resgate ou simpatia, mesmo se fossem judeus. Mas a nova realidade nos EUA é que os vigaristas e seus seguidores gananciosos também são enormemente dominantes politicamente – e uma das chaves de seu poder é a propaganda do holocausto. Por que os judeus deveriam sofrer alguma dor, mesmo que seja apenas uma dor financeira? Quem se atreveria a invejar os pequenos queridos, o que quer que eles possam roubar depois de tudo o que supostamente suportaram durante aquele outro holocausto sob Hitler e o socialismo nacional? Bernie Mas a nova realidade nos EUA é que os vigaristas e seus seguidores gananciosos também são enormemente dominantes politicamente – e uma das chaves de seu poder é a propaganda do holocausto. Por que os judeus deveriam sofrer alguma dor, mesmo que seja apenas uma dor financeira? Quem se atreveria a invejar os pequenos queridos, o que quer que eles possam roubar depois de tudo o que supostamente suportaram durante aquele outro holocausto sob Hitler e o socialismo nacional? Bernie Mas a nova realidade nos EUA é que os vigaristas e seus seguidores gananciosos também são enormemente dominantes politicamente – e uma das chaves de seu poder é a propaganda do holocausto. Por que os judeus deveriam sofrer alguma dor, mesmo que seja apenas uma dor financeira? Quem se atreveria a invejar os pequenos queridos, o que quer que eles possam roubar depois de tudo o que supostamente suportaram durante aquele outro holocausto sob Hitler e o socialismo nacional? BernieMadoff foi mandado para a prisão porque ele roubou dos judeus – vergonha para ele -, mas os outros não estão nem mesmo enfrentando qualquer tipo de proscrição, como Lanny Breuer (judeu e procurador federal) explicou tão bem na Front Line.

      Que ironia do destino que a América está sendo destruída hoje pelas mesmas pessoas que destruíram a Alemanha nazista. As mentiras e mentirosos que destruíram a Alemanha nazista estão finalmente destruindo a América também!

  1. É MAIS FÁCIL ENGANAR AS PESSOAS DO QUE CONVENCÊ-LAS QUE FORAM LUDIBRIADAS https://i.pinimg.com/originals/e2/c6/b3/e2c6b3826d4e89b451ce20d0b15f89d6.jpg

    “O j*deu é imoral e fundamentalmente criminoso. O crime é sua forma inata de existência. É continuado e inevitável no ataque contra as leis naturais da ordem da comunidade nacional e a coexistência dos povos. Não é de modo algum o dinheiro que ele procura. Para o j*deu, o dinheiro é apenas um meio para um fim, para ele, o objetivo final é sempre apenas a conquista do poder, a usurpação do poder ilimitado sobre os homens. Todo o conteúdo da chamada “religião” do j*daísmo e sua escolha é uma mera invenção desse desejo doentio pelo poder. Assim, sua “religião”, é contra Deus, sua lei é contra a lei, sua moral é contra a moralidade. Sua natureza é antinatural, sua consciência popular é antinacional, seu nacionalismo é internacionalista e suas políticas são crimes. Assim, o j*deu é o verdadeiro contra-humano, o membro corrompido de uma mistura sub-racial. Ele é o líder inato da subumanidade.

    A substância j*daica comum e a administração conjunta da criminalidade comum, de um lado, e do bolchevismo, de outro, explicam a concordância e a semelhança de ambos os fenômenos. Criminoso em sua teoria e criminoso em sua execução, o bolchevismo nada mais é do que uma insurreição do submundo sob liderança judaica pela subjugação dos povos.

    O bolchevismo é a forma moderna de forma “adaptada” e racionalizada da criminalidade j*daica. A Internacional Comunista é propagandística e a União Soviética, sua ferramenta política de poder. Incapaz de realização e construção, o j*do-bolchevismo é devastador e destrutivo, quando e onde quer que ocorra. Ele é a frente do meio e inferior, o reservatório para a expulsão da humanidade.

    Com o veneno do crime e a arma do bolchevismo, o j*deu lidera sua luta de aniquilação contra tudo o que é saudável, verdadeiro e nobre no mundo. Ele é a personificação do mal que é indignado contra Deus e a natureza. Onde sua pestilência atinge, ele é mortal. Qualquer um que lute com o j*deu luta com o diabo, como o líder de seu livro “Mein Kampf” já disse há uma década: “‘Ao combater o j*deu eu luto pela obra do Senhor’r”.

    Fonte pg.12 https://ia600303.us.archive.org/27/items/Keller-Josef-und-Andresen-Hanns-Der-Jude-als-Verbrecher/KellerJosefUndAndersenHanns-DerJudeAlsVerbrecher1937238S.Scan.pdf

    também acessível em partes no final de cada pg. aqui: https://fliegende-wahrheit.com/2018/11/13/buchauszug-der-jude-als-verbrecher-von-j-keller-und-hanns-andersen-teil-2-kriminalstatistik/

    http://www.renegadetribune.com/wp-content/uploads/2018/09/1527355602930.gif

    12 de agosto de 1930 https://doctrinanacionalsocialista.blogspot.com/2019/08/12-de-agosto-1930-nace-el-terrorista.html

  2. Acostume-se com a verdade: Hitler ☘ era comprovadamente e não alegadamente 👉 o bom rapaz:🧐 http://www.renegadetribune.com/begging-to-be-holocausted/

    http://w.gasperi.blog.uol.com.br/images/facil-enganar001.jpg

    Queimados vivos, cobertos de excrementos, morrendo de fome, levados à insanidade: como os aliados criaram a maior crise alemã de refugiados para mulheres e crianças, 2 milhões morreram sem piedade
    http://www.renegadetribune.com/burned-alive-covered-in-excrement-starved-driven-to-insanity-how-the-allies-created-the-greatest-german-refugee-crisis-for-women-children-2-million-died-without-mercy/

    A destruição dos atentados de Dresden foi tão grande que os números exatos de mortes nunca serão obtidos
    https://wearswar.wordpress.com/2019/02/14/the-dresden-firestorm-massacre-was-a-botched-allied-mission-if-the-official-death-toll-is-to-be-believed-the-victims-are-conveniently-vaporized-from-history/

    População Judaica 1933 e 1948 http://www.thetruthseeker.co.uk/?p=85432

    Documentários que demolem o “holocausto” http://www.renegadetribune.com/documentaries-that-demolish-the-holocaust/

    Este post não apresentará nenhum dos numerosos documentários on-line que tratam dos aspectos científicos (isto é, técnicos, químicos, arqueológicos, etc.) sobre por que a narrativa oficial do Holocausto ™ não é apenas uma impossibilidade, mas também examinada com clareza. absurdo. http://www.renegadetribune.com/the-holocaust-and-the-phony-six-million/

    O “holocausto” como mordaça / a ocultar o verdadeiro holocausto que os ALIENADOS, digo ALIADOS promoveram – PARA SALVAR O COMUNISMO. https://nationalvanguard.org/2015/03/the-holocaust-as-gag/

    Alguém condenou a União Soviética por esse ato de genocídio contra os poloneses? https://nationalvanguard.org/2017/04/katyn/

    “Aqueles que conseguem fazer-te crer em absurdos https://1.bp.blogspot.com/-wlDGkJXQEtQ/XSFD3snB4MI/AAAAAAAACMY/WaZj022_XLYY9AvceEfxvKE-VwRdpBSMACLcBGAs/s1600/jude-768×488.png também te convencerão a cometer atrocidades”. Voltaire, Perguntas sobre os Milagres, 1765 https://izquotes.com/quotes-pictures/quote-anyone-who-has-the-power-to-make-you-believe-absurdities-has-the-power-to-make-you-commit-voltaire-191103.jpg

    De acordo com o estudo excelentemente documentado de Hans Rumpf, Essa foi a guerra de bombardeio (Gerhard Stalling, 1961), o ataque a Lubeck nas noites de 28 e 29 de março de 1942 foi o ponto de virada histórica da Segunda Guerra Mundial. A partir de então, foi o principal objetivo dos ataques aéreos dos Aliados atacar os civis alemães e destruir suas casas com bombas incendiárias, particularmente nas áreas mais densamente povoadas, onde o perigo de incêndio era maior. https://nationalvanguard.org/2016/12/world-war-2-atrocities-real-and-imagined/

    Comprovados e não alegados aampos de Morte de Eisenhower https://nationalvanguard.org/2017/06/eisenhowers-death-camps/

    É curioso como, com os anos e anos de doutrinação anti-Hitler, através de Hollywood e educação pública e a insistência do lobby sionista judeu, apenas ouvir a voz de Hitler ouvida em fragmentos sonoros de seus discursos invoca a medo e ódio na maioria das pessoas. https://division-historia.blogspot.com/2013/09/mi-recuperacion-de-mi-falso.html

    Onde os 6 milhões de judeus foram gaseados? Ursula Haverbeck faz esta pergunta e é condenada! http://holocaust.uy/wo-sind-die-6-millionen-juden-vergast-worden

    Joseph Halow, um jovem repórter da corte dos EUA nos julgamentos de Dachau em 1947, descreveu algumas das falsas testemunhas nos julgamentos de Dachau http://www.renegadetribune.com/professional-witnesses-still-clamoring-for-attention-in-the-greatest-show-trial-in-history/

    Nem uma única fotografia mostra as nuvens de fumaça que supostamente resultaram da suposta cremação de 12.000 cadáveres diariamente https://nationalvanguard.org/2016/11/more-on-the-holocaust-fraud/
    Santo Holocausto! https://nationalvanguard.org/2015/03/holy-holocaust/
    https://nationalvanguard.org/2016/06/a-holocaust-imposter-pa-man-lied-about-auschwitz-imprisonment-and-escape-historian-says/

    1. A única coisa em Auschwitz que se assemelha a uma câmara de gás humana foi construída em 1946 por Stalin.

    2. Nenhum diagnóstico de morte por envenenamento por cianeto está registrado em nenhum campo de trabalho alemão.

    3. Nenhum vestígio de restos dos milhões de corpos supostamente gaseados nos campos de trabalho alemães.

    4. Nenhum dos generais de guerra após a guerra que escreveu suas memórias fez qualquer alusão a câmaras de gás humanas ou mesmo a qualquer intenção de exterminar um grupo étnico.

    5. A Cruz Vermelha fez visitas normais e rotineiras a Auschwitz durante a guerra, e seus relatórios publicados não fizeram nenhuma alusão a qualquer gaseamento humano em andamento naquele local.

    6. Nenhum documento autêntico que ateste o “Holocausto” existe em qualquer lugar.

    7. Os arquivos de Bad Arolsen listam todos que viveram e morreram em todos os campos de trabalho alemães. Surge naturalmente a questão sobre qual é o número total registrado neste tremendo arquivo. Claramente, os gerentes deste arquivo não têm liberdade para contar sobre isso ou seriam presos por um crime tão terrível.

    Fonte https://holocaustdeprogrammingcourse.com/

    O Holocausto Perdoado http://ihr.org/other/sobran/forgivenholocaust

    https://www.osentinela.org/theodore-j-o-keefe/a-libertacao-dos-campos-fatos-a-se-considerar/?unapproved=28264&moderation-hash=a75a77f10139b7210f65dfbb8a9bd473#comment-28264

    O país, que pretende trazer paz, liberdade e democracia para o mundo, trouxe guerra como nenhuma outra, terror, ditaduras, morte e destruição, quase sem parar, até hoje: https://germanenherz.wordpress.com/2014/04/16/bombendemokratie-made-in-usa/

    Compartilhe pelo whatsap, sem esquecer – que a verdade é e sempre será – tutora de nossa liberdade https://www.osentinela.org/ellen-brown/expondo-a-agenda-libia-uma-olhada-mais-de-perto-nos-e-mails-de-hillary/?unapproved=28701&moderation-hash=4c8759e7d4813771c7971d69901dae7f#comment-28701

    http://izquotes.com/quotes-pictures/quote-the-hottest-places-in-hell-are-reserved-for-those-who-in-times-of-great-moral-crisis-maintain-dante-alighieri-337213.jpg

Deixe uma resposta para Ulysses Freire da Paz Junior Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.