fbpx
Oferta!

R$89,80

“Desafio” foi um livro publicado pela primeira vez em 1951 em Calcutá, Índia, por Savitri Devi, onde conta as memórias de sua detenção, julgamento e prisão sob a acusação de distribuir propaganda nacional-socialista na Alemanha em 1949. O livro é dedicado a Herta Ehlert e, ao seu estilo, começa com citações do Bhagawad Gita e de Adolf Hitler.

Consulte o prazo estimado e valor da entrega

Não sei meu CEP

Descrição

“Desafio” foi um livro publicado pela primeira vez em 1951 em Calcutá, Índia, por Savitri Devi, onde conta as memórias de sua detenção, julgamento e prisão sob a acusação de distribuir propaganda nacional-socialista na Alemanha em 1949. O livro é dedicado a Herta Ehlert e, ao seu estilo, começa com citações do Bhagawad Gita e de Adolf Hitler.

O livro é agora pela primeira vez publicado em língua portuguesa EM GRANDE FORMATO pela Episch Verlag COM TEXTO literal e integral traduzida por Senhor B., erudito especialista em traduções político-filosóficas e metapolíticas que já desenvolveu trabalhos de tradução inéditas como “O Mito do Século XX” de Alfred Rosenberg.

Sobre a autora

Savitri Devi Mukherji (30 de setembro de 1905 – 22 de outubro de 1982) era o pseudônimo da filósofa, professora e escritora francesa Maximiani Julia Portas.

Filha de pai grego e mãe escocesa, desde cedo sua vida foi marcada pela paixão. Aos 11 anos, durante a Primeira Guerra Mundial (1914 – 1918), já rabiscava com giz nas paredes da Estação de Trem de Lyon slogans contra os Aliados: “Abaixo os Aliados, viva a Alemanha!!”, em protesto contra os invasão da Grécia neutra.

Savitri foi uma ativista pioneira dos direitos dos animais. Notoriamente talentosa, ela tinha uma sólida formação acadêmica, obteve notas brilhantes em química e filosofia. Fez uma tese de doutorado sobre a “Filosofia da ciência” (seu desejo de combinar ciência e espiritualidade) e dominou sete línguas, incluindo inglês, francês, alemão, grego, hindu e bengali, sem contar as línguas arcaicas com as quais estava familiarizada, como o sânscrito, o grego antigo e o latim.

Suas convicções políticas eram pan-helênicas, tanto que em 1928 ele renunciou à nacionalidade francesa, nacionalizando-se na Grécia. Savitri emigrou para a Índia, onde estudou apaixonadamente o hinduísmo como tradição indoeuropeia e se casou com um brâmane. Na sua obra, em que se destacam “Memórias e reflexos de uma ária” e “O Raio e o Sol”, e em que se evidencia a influência nietzschiana e nacional-socialista, a par de um severo ambientalismo.

Ela também é lembrada como uma das mulheres mais representativas do Nacional-Socialismo que até o momento de sua morte lutou convicta pelo restabelecimento de uma Nova Ordem. Em suas próprias palavras: “O Nacional-Socialismo retornará porque quando o atual ciclo histórico atingir seu declínio total, seu retorno será inevitável”.

Proponente do hinduísmo e do nacional-socialismo em nível internacional, sintetizando os dois, proclamou Adolf Hitler como enviado pela Providência, bem como avatar do deus hindu Vishnu. Seus escritos influenciaram o nacional-socialismo e o esoterismo. Embora mística em sua concepção política, Savitri Devi via o nacional-socialismo como uma fé prática que não precisava de metafísica. Entre as ideias de Savitri Devi estavam as classificações de “homens acima do tempo”, “homens no tempo” e “homens contra o tempo”. Ela é creditada como pioneira do interesse nacional-socialista no esoterismo, Ecologia Profunda e o movimento da Nova Era. Ela influenciou o diplomata chileno Miguel Serrano. Em 1982, Franco Freda publicou uma tradução alemã de sua obra Gold in the Furnace, e o quarto volume de sua revista anual, Risguardo (1980-), foi dedicado a Savitri Devi como o “missionário do paganismo ariano”.

Seus trabalhos, em conjunto com os de Julius Evola, foram grandes influências no ativista Bill White. O italiano que se autodenomina “maoísta nacional-socialista” Claudio Mutti foi influenciado pela leitura de sua obra Peregrinação como uma adolescente idealista. Como jovem guarda-costas de Colin Jordan, David Myatt abraçou com entusiasmo os valores expressos em seu trabalho The Lightning and the Sun. Nos EUA, o nacional-socialista James Mason (cuja Ordem Universal guarda uma forte semelhança com os sentimentos de Savitri Devi) prestou homenagem a ela em seu trabalho, Siege. Lynette “Squeaky” Fromme, do grupo Charles Manson, endossou The Lightning and the Sun. Revilo P. Oliver escreveu que viu a potencialidade de uma futura religião venerando Adolf Hitler “nas obras de uma senhora de ascendência grega altamente inteligente e erudita, a Dra. Savitri Devi”.

Ela também foi um dos membros fundadores da União Mundial dos Nacional-Socialistas.

Informação adicional

Peso 850 g
Dimensões 21 × 14 × 3 cm
Ano

2021

Autor

Savitri Devi

Edição

1ª edição

Editora

Selo Editorial Episch

Páginas

682

Encadernamento

Brochura com orelhas

Você também pode gostar de…

Deixe comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Quer receber nossas notificações?    SIM! Não, obrigado (a)