fbpx

Brasil Sempre – Marco Pollo Giordani

Brasil Sempre – Marco Pollo Giordani

R$29,90

4 em estoque

Consulte o prazo estimado e valor da entrega

Não sei meu CEP
SKU: L030 Categorias: ,

Descrição

“Um livro que elogia e valoriza o trabalho e o poder político da comunidade de informações, especialmente do SNI, critica a atuação da igreja progressista, ‘a mais perigosa ameaça interna’, analisa a atuação de comunistas e organizações de esquerda, defende a criação de um grande partido nacional de direita, apontando o deputado Paulo Maluf como o maior líder da direita brasileira, e ainda faz interessantes revelações como a dos preparativos para a invasão do Uruguai por tropas brasileiras em 1972”.

– Jornal do Brasil

“Giordani diz que não pretende contestar o relato das vítimas da esquerda, mas ‘mostrar a parte esquecida’. O autor, 36 anos, casado, 2 filhos, dezoito anos no Exército, afirma não possuir ‘trezentos mil dólares nem os computadores, aparelhos de microfilmagem ou funcionários assalariados usados na confecção de ‘Brasil: Nunca Mais‘ – mas diz ter ‘a real experiência do contato permanente com a subversão’, além de ‘vários anos de Doi-Codi dedicados exclusivamente ao Brasil”.

– Folha de S. Paulo

 

A lista das 92 vítimas da esquerda durante a luta armada no final dos anos 60 e começo dos anos 70 e dos 28 oficiais e soldados mortos na intentona comunista de 1935.

Escrito pelo tenente Marco Pollo Giordani, da 2ª Seção (serviço secreto) do Comando Militar do Sul, a partir de “pesquisa solitária, anotações de dados e ensinamentos adquiridos através da vivência diária, estudo de obras, sobretudo pela experiência pessoal”, “Brasil Sempre” é, sem dúvida, um sinal dos tempos democráticos é o primeiro livro sobre o tema de um oficial da ativa da comunidade de informações, feito com a aprovação tácita de seus superiores e, curiosamente, lançado por uma editora considerada de esquerda, a Editora Tchê, a segunda do Rio Grande do Sul, com 85 títulos. “Com este livro” – justifica-se o diretor da Editora, Airton Ortiz – “estamos passando à opinião pública o ponto de vista dos militares que estão aí e continuam influindo nos destinos do país”.

“Poderoso SNI”

Ilustrado com fotos de uma revista do Cisa-Centro de Informações da Aeronáutica de 1982, o livro Brasil Sempre afirma que o SNI transformou-se “no maior e mais poderoso serviço de informações de todo o continente sul-americano” e que a comunidade de informações “está incomensuravelmente mais forte”. “O SNI hoje abarca os mais longínquos tentáculos da escalada vermelha. Saibam todos que, se houver outra luta, felizmente não se precisará falar mais em torturados. Nós possuímos o fio da meada”.

O livro confirma a existência da Operação Charrua, denominação até agora não divulgada, pela qual o Exército brasileiro invadiria o Uruguai, que estava “já quase em mãos dos Tupamaros”, e de cujos preparativos o tenente Marco Pollo Giordani participou em 1972. “A vibração era tanta entre nós que parecíamos viver um momento grandioso. A Operação Charrua só não foi desencadeada porque os uruguaios resolveram o problema através das urnas” – conta, referindo-se a derrota da Frente Ampla (coligação das esquerdas uruguaias) nas eleições presidenciais.

O maior capítulo do Brasil Sempre é dedicado à analise do comunismo, num texto idêntico ao de um curso ministrado pela Escola Nacional de Informações (Esni) aos membros do SNI e de organizações da comunidade e informações.

Um novo fechamento político pode estar próximo, afirma Giordani, se o governo Leonel Brizola chegar a presidência da República por eleições diretas. Ele não acredita que “dentro desta geração de oficiais-generais haja um sequer que consiga – pacifica e tranquilamente – entregar a nação à desdita de um aventureiro, cujo passado em nada recomenda. Não teria sentido um dos principais causadores da revolução de 1964 assumir a chefia das forças que tanto procurou dividir e desmoralizar”.

Garante que é contra a tortura, critica o presidente João Figueiredo, que não quis dar eleições diretas, com chances de vitória para o candidato do PDS, Aureliano Chaves, que liderava as pesquisas de opinião na época.

E adverte: “Não começamos a guerra, fomos levados a ela. Vencemos. Venceremos todas as vezes que a reiniciarem”.

– Jornal do Brasil

Informação adicional

Peso 400 g
Dimensões 21 × 2 × 14 cm
Ano

1986

Autor

Marco Pollo Giordani

Edição

1ª edição

Editora

Tchê! Editora LTDA.

Páginas

272

Acabamento

Brochura (comum)

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Brasil Sempre – Marco Pollo Giordani”

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Quer receber nossas notificações?    SIM! Não, obrigado (a)