O despertar político de Anton Drexler

Nos ajude a espalhar a palavra:

“Não foi de outra forma que julguei o ‘Partido Trabalhista Alemão’, após assistir durante duas horas uma de suas sessões. Fiquei contente quando Feder terminou seu discurso. Tinha visto o bastante, e já me dispunha a sair quando a anunciada abertura dos debates livres me induziu a ficar. Parecia que tudo ia correr sem significação, até que, de repente, começou a falar um ‘Professor’, o qual inicialmente pôs em dúvida a exatidão dos argumentos de Feder. Ante uma resposta muito adequada de Feder, colocou-se o dito ‘Professor’ de repente ‘no terreno das realidades’:, sem, porém, deixar de recomendar muito oportunamente ao jovem partido adotar, como ponto importante de seu programa, a luta pela ‘separação’ da Baviera da Prússia. O homenzinho afirmava atrevidamente que, nesse caso, a Áustria alemã, sobretudo, se ligaria imediatamente à Baviera, que a paz seria então muito melhor, e outros absurdos. Não me contive mais e pedi a palavra, a fim de fazer sentir ao erudito senhor a minha opinião nesse ponto e fi-lo com tanto sucesso que meu antecessor na tribuna abandonou o recinto como um cão batido, antes mesmo de eu acabar. Enquanto eu falava, a assistência ouvia cheia de espanto e quando eu me dispunha a dizer boa-noite à assembleia e retirar-me, um dos assistentes dirigiu-se a mim, apresentou-se (nem pude compreender direito o seu nome), colocou em minhas mãos um pequeno livreto, visivelmente uma brochura política, com o pedido insistente de lê-la.” – Mein Kampf [Minha Luta], Adolf Hitler, p. 206 – 207.

Anton Drexler (1884 – 1942) foi um político alemão, fundador em 1919 e líder do Partido dos Trabalhadores da Alemanha (DAP), que se tornou o NSDAP em 1920. Impressionado após um discurso, Drexler encorajou Adolf Hitler a se juntar ao partido em 1919. Após uma disputa dentro do partido, Hitler tornou-se líder em 1921. Drexler foi depois transferido para a posição puramente simbólica de presidente honorário. Não participou do Putsch de Munique mas voltou ao partido em 1933, sem ter influência significativa.

Anton Drexler fundou o Partido dos Trabalhadores Alemães (DAP – Deutsche Arbeiterpartei), que precedeu o Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães (NSDAP – Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei). Nos primeiros anos, ele orientou Adolf Hitler, que assumiria a liderança do NSDAP. A apresentação do panfleto de Anton Drexler entregue a Hitler ao perceber o poder de sua retórica, será apresentada aqui em caráter Histórico, sem intervenções para preservar o texto original.

Por Anton Drexler (1920)

“Caros colegas,

É um colega de trabalho que está falando com você – alguém que ainda está no torno. O que eu tenho a lhe dizer pode parecer um tanto estranho e surpreendente, pois soa muito diferente do que você está acostumado a ouvir. Sou socialista como vocês e quero que os trabalhadores manuais obtenham igualdade com outros grupos criativos, bem como a aniquilação de layabouts (vagabundos) e drones (vadios), e o confisco dos lucros obtidos sem trabalho ou esforço.

Ainda espero uma forma verdadeira e justa de socialismo, a salvação das massas trabalhadoras e a libertação da humanidade criativa das cadeias do capitalismo explorador. Mas estou convencido de que não estamos no caminho certo para alcançar esse objetivo.

Muitos de nossos líderes são de fato homens honestos e querem o melhor para os trabalhadores. Mas há também alguns que estão a serviço de uma potência estrangeira. Eles usaram o movimento dos trabalhadores como um instrumento para certos interesses especiais. Eles usaram as organizações de trabalhadores como guarda-costas da bolsa de valores improdutiva e do capitalismo de empréstimos. Como resultado de minhas investigações, estou convencido:

  • Que existe uma conspiração secreta de trabalho que, apesar de falar muito sobre humanidade e tolerância, na realidade quer apenas atrair as pessoas para um novo jugo;
  • Que vários líderes operários, sendo grandes capitalistas, pertencem a esse grupo;
  • Que 300 grandes banqueiros, financiadores e barões da imprensa, interconectados em todo o mundo, são os verdadeiros ditadores; eles pertencem quase exclusivamente ao “povo escolhido”; todos são membros dessa mesma conspiração secreta, que organiza a política mundial, a saber, a loja internacional dos maçons; o objetivo deles é:

A Ditadura do dinheiro no trabalho

Esses ditadores de bancos e bolsas de valores não fazem nada abertamente, pois eles têm seus agentes no movimento dos trabalhadores e os pagam bem. Voltam o ressentimento do povo, contra si mesmos, para os pequenos proprietários, os donos das fábricas e os agricultores, que com todo o seu dinheiro dificilmente podiam pagar os juros devidos aos grandes banqueiros. Somente a House Of Rothschild (Banco Rothschild) possui mais capital do que toda a indústria pesada alemã.

Quando finalmente veremos através dos falsos amigos do nosso movimento? O grande capitalista judeu sempre interpreta nosso amigo e dogooder (salvador da pátria); mas ele apenas faz isso para nos transformar em seus escravos. O trabalhador confiante vai ajudá-lo a estabelecer a ditadura mundial dos judeus. Porque esse é o objetivo deles, como afirma a Bíblia: Todos os povos o servirão, toda a riqueza do mundo pertencerá a eles. No Talmude, diz: Está chegando um momento em que todo judeu terá 2800 escravos.

Camaradas, vocês querem ser escravos judeus?

Um fim ao orgulho falso! Trabalhadores sempre afirmam que criamos toda a cultura humana com nossas próprias mãos. Mas isso está certo? E os professores, inventores, artistas, pesquisadores e técnicos?
A classe média, a burguesia e os agricultores não são produtivos? E eles também não sofrem com a ditadura do grande capital, assim como nós? Não faria mais sentido oferecer a eles nossa mão e, juntos, atacar nosso inimigo comum? O truque particular dos exploradores capitalistas é que eles são capazes de jogar os trabalhadores e a burguesia um contra o outro e, assim, mantê-los impotentes.

Afaste seus líderes judeus e os que pagam eles, Judas! E um último ponto: não espere nada do bolchevismo. Não traz liberdade ao trabalhador. Na Rússia, o dia de oito horas de trabalho foi abolido. Não há mais conselhos de trabalhadores. Todos se acovardam sob a ditadura de cem comissários do governo, que são nove décimos judeus.

O Bolchevismo é uma fraude judaica.”

Anton Drexler, fabricante de ferramentas,
Munique,
1920


Referências de pesquisa:

Mike Walsh. History’s Most Important Document Suppresses. The Ethnic-European, 2 abr. 2019. Disponível em https://europeansworldwide.wordpress.com/2019/04/02/historys-most-important-document-suppressed/

Renegade. Anton Drexler’s Political Awakening. Renegade Tribune, NS Europa, 13 out. 2019. Disponível em http://www.renegadetribune.com/anton-drexlers-political-awakening/

Leonardo Campos
Nos ajude a espalhar a palavra:
Gostou do artigo? Você pode contribuir para o site com uma doação:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − 12 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.