Hungria aprova lei contra promoção a homossexualidade a menores de idade

A Hungria adotou ontem uma lei que proíbe a promoção da homossexualidade e transsexualidade endereçadas para menores de idade, uma decisão que nada agradou as organizações de defesa dos direitos humanos  que, alegam “restrições” do Governo de Viktor Órban contra as “pessoas LGBT”.

Esta nova lei foi aprovada por 157 votos no parlamento, entre eles o partido Fidesz, força política de Viktor Órban. A maior parte da oposição boicotou o voto e ausentou-se por completo.

O documento, segundo a AFP, diz que tanto a pornografia como os conteúdos que promovem a sexual ou o desvio de identidade de gênero, mudança de sexo ou homossexualidade não devem ser acessíveis aos menores de 18 anos.

Esta nova lei vai inferir não só em programas escolares, mas também a publicidade de grandes empresas internacionais na Hungria, como um anúncio da Coca-cola em 2019 onde aparecia um casal de dois homens que despertou pedidos de boicote na sociedade húngara.

“Estas propostas vão estigmatizar ainda mais as pessoas LGBT, expondo-os a uma maior discriminação no que já é um ambiente muito hostil”, defendeu Davig Vig, diretor da Amnistia Internacional na Hungria, em comunidade.

Na segunda-feira, entidades internacionais de lobby progressista organizaram militâncias nas ruas de Budapeste contra a adopção desta lei.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Quer receber nossas notificações?    SIM! Não, obrigado (a)