fbpx

Eleições sírias como um megaevento

A vice-presidente da República Árabe Síria, Najah Al-Attar, ao votar nas eleições presidenciais da última quarta (26) no colégio eleitoral estabelecido na Biblioteca Nacional Al-Assad em Damasco, capital da Síria, anunciou em nota à imprensa que as eleições presidenciais daquele dia eram um megaevento, lembrando que “a Síria é a pátria dos bravos e só um presidente como o dirigente Al-Assad é digno de dirigi-la”.

A vice-presidente da República Árabe Síria, Najah Al-Attar votou no colégio eleitoral estabelecido na Biblioteca Nacional Al-Assad em Damasco, capital da Síria. Imagem: SANA

Ela enfatizou que o presidente Al-Assad é o protetor do arabismo e o líder que sempre luta pelas causas árabes.

Exército sírio também votou nas eleições presidenciais

As Forças Armadas do Exército Árabe Sírio, lideradas pelo Tenente General Ali Abdullah Ayoub, Ministro da Defesa e vários oficiais de alto escalão do Comando Geral, também votaram na quarta-feira nas eleições presidenciais.

Os militares destacaram que sua participação nas eleições culmina com as vitórias conquistadas contra o terrorismo e seus patrocinadores há mais de dez anos.

 

Por sua vez, Samer Zamrek, chefe do Comitê Judiciário Supremo Eleitoral da Síria, disse que o Comitê acompanha o processo eleitoral nos centros de votação das unidades das Forças Armadas, em conformidade com a Lei Eleitoral Geral e seus dispositivos. instruções executivas.

Encerrada a contagem de votos e confirmada a reeleição de Bashar Al Assad para a nova fase, multidões se reuniram no Parque Tishreen, no centro de Damasco, para comemorar o auge das eleições presidenciais.

Assad eleito com 95% dos votos válidos

O Presidente da Assembleia do Povo (Parlamento Sírio), Hamoudah Al-Sabbagh, anunciou na quinta-feira (27) que Bashar Al-Assad ganhou as eleições presidenciais por 95,1% dos votos válidos.

Sabbagh esclareceu que Assad foi eleito com 13.540.860 eleitos votos e especificou que 14.239.140 eleitores participaram nas eleições de um total de 18.107. 109 eleitores com direito a voto dentro e fora do país, com uma participação massiva de 87% do total de eleitores sírios.

Assad foi reeleito para o 4º mandato.

[carousel_slide id=’23543′]

 

Grande demonstração de apoio do povo e festa

Após o resultado, houve uma grande festa na emblemática Praça Umayyad, na capital, Damasco, pelo triunfo eleitoral do presidente Al-Assad. Fogos de artifício iluminam o céu sobre Damasco comemorando a vitória do presidente Bashar Al-Assad nas eleições presidenciais.

 

Putin felicitou Bashar Al Assad pela vitória que o confirma “alta autoridade política”

O Presidente russo, Vladimir Putin, felicitou na sexta (28) Bashar al-Assad pela sua vitória nas eleições presidenciais na Síria, afirmando, num telegrama, que tal confirma a “alta autoridade política” do líder sírio.

“Os resultados da votação confirmaram plenamente a sua alta autoridade política e a confiança dos seus concidadãos”, declarou Putin, segundo um comunicado do Kremlin, adiantando que aos olhos dos sírios o chefe de Estado permitiu “a estabilização rápida da situação” no país em guerra.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros russo também saudou a vitória esmagadora de Assad nas presidenciais na Síria, denunciando além disso as críticas ocidentais em relação ao seu aliado.

A “vitória convincente do chefe de Estado em exercício” é, segundo um comunicado da diplomacia russa, “um passo importante para reforçar a estabilidade” da Síria.

[carousel_slide id=’23571′]

 

A intervenção militar da Rússia na Síria desde 2015 e nomeadamente o apoio da sua aviação nos bombardeamentos contribuíram significativamente para salvar o governo de Damasco e para que, após uma década de guerra civil, Assad continue firme no comando do país.

Para Moscou, as críticas ocidentais à reeleição de Assad constituem “uma pressão política grosseira sobre Damasco e uma nova tentativa de ingerência nos assuntos internos da Síria”.

Esta foi a segunda eleição presidencial desde o início, em 2011, de uma guerra sangrenta, que envolve diversos beligerantes e potências estrangeiras. Potências estrangeiras que inseriram mercenários e jihadistas takfiris para destruir a Síria, seu povo e seu governo.

A luta contra o terrorismo que foi combatida pelo Exercito Árabe Sírio, sob o comando do presidente Bashar al Assad, e contou com aliados como a Rússia, o Irã e o Hezbollah e o apoio do povo da Síria.

Nesta eleição, mais uma vez, o povo sírio confirma o seu apoio ao Projeto Nacional Sírio que não desiste e nem se curva frente a ingerência externa e defende a soberania em toda a geografia da Síria, ao eleger Dr. Bashar Al Assad como presidente por mais sete anos.

[carousel_slide id=’24435′]

 

Assad após sua reeleição: Agora é a hora de construir a Síria como deveria ser

O presidente sírio, Bashar Al Assad, disse que “é hora de trabalhar” logo após o anúncio de que foi reeleito para um quarto mandato.

“Ao final do processo eleitoral e ao início da etapa de trabalho, agradeço a todos os sírios por seu alto patriotismo e sua destacada participação neste direito nacional”, disse ele em declarações coletadas em seu canal Telegram, informou a agência de notícias SANA.

“Misericórdia pelas almas de nossos mártires, recuperação de nossos feridos e saudações aos homens de nosso heróico Exército Árabe Sírio”.

Bashar Hafez al-Assad, do Partido Baath, com sua esposa Asma al‑Assad em colégio de eleitoral de votação na capital Damasco. Assad foi eleito pela quarta vez presidente da Síria. Créditos: SANA

“Para o bem de todos e seus sacrifícios, pelo futuro das crianças e jovens da Síria, vamos começar amanhã a trabalhar para reforçar a esperança de construir a Síria como deveria ser”, disse o presidente Assad na noite de quinta-feira.

Na quinta-feira, o presidente da Assembleia do Povo, Hammouda Sabbagh, anunciou a vitória de Bashar Al Assad nas eleições presidenciais, com maioria de votos de 95,1%.

“O Dr. Bashar Al-Assad obteve 13.540.860 votos, ou 95,1% do total de votos corretos”, disse Sabbagh em entrevista coletiva.

Sabbagh acrescentou que o número de eleitores com direito de voto dentro e fora da Síria atingiu 18.107.109, enquanto o número de eleitores que votaram dentro e fora do país atingiu 14.239.140 ou 78,64% do censo.

O porta-voz disse ainda que o segundo candidato, Mahmoud Merhe, obteve 470.276 votos com 3,3%, enquanto Abdallah Salloum Abdallah obteve 213.968 votos com 1,5%.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Quer receber nossas notificações?    SIM! Não, obrigado (a)