fbpx
Eduardo Bolsonaro é a favor do revisionismo histórico?
Nos ajude a espalhar a palavra:

Livros didáticos estão na mira do novo governo Bolsonaro. Segundo declarações do deputado federal mais votado na última eleição, Eduardo Bolsonaro sinaliza revisão histórica sobre a “ditadura militar”.

Nesta quinta-feira (10/01/19), em meio à polêmica edição do edital que altera inúmeras regras para a aquisição de livros didáticos, Eduardo Bolsonaro sinalizou que os livros escolares atuais não estão contando a história da maneira correta e que seria preciso “sair do marasmo”.

“Um povo sem memória é um povo fraco”

O deputado está corretíssimo ao afirmar que um povo sem memória é um povo fraco. Pois o entendimento do passado e o aprendizado com experiências vividas fazem parte da cultura e formação de um povo. Eles ajudam no desenvolvimento de seu espírito. Suprimir o debate a respeito do passado, impedindo que ele seja passado a limpo e, pior, aceitando uma versão imposta pelo inimigo, ou seja, uma versão parcial e manipulada da realidade, é algo que corrói a alma do povo, levando-o à morte.

A consequência deste processo de revisão histórica é óbvia. Deixemos que o cientista política da FGV, professor Cláudio Couto, esclareça o que irá acontecer depois:

Nem mesmo os globalistas conseguirão impedir a divulgação da verdade

“A verdade tarda, mas não falha”. Assim está cravado no inconsciente popular. Por mais que o inimigo utilize medidas de oposição controlada, censura das obras revisionistas do tal “holocausto judeu”, criminalize os revisionistas, os destrua financeiramente ou tente eliminá-los fisicamente, nada disso conterá o ser humano em sua sede pela verdade. É um processo atávico que não pode ser impedido pelos globalistas. É um processo que pode parecer adormecido, mas no fundo ele se comporta como uma movimentação de lava vulcânica: lentamente desce a montanha e quando chega ao seu destino, queimará de uma só vez aquelas mentiras há décadas repetidas como um mantra tibetano.

Fonte: www.inacreditavel.com.br

Marcelo Franchi
Siga em:
Últimos posts por Marcelo Franchi (exibir todos)
Nos ajude a espalhar a palavra:

5 comentários sobre “Eduardo Bolsonaro é a favor do revisionismo histórico?

  1. “Estas magnânimas palavras distinguem o bem do mal ”:“ Pelos seus frutos os conhecereis. ”Mateus 07:16 –
    1º Pesquise esta citação acima na web: e o que mais nela se revela. e
    2º Intere-se de todos os comentários em “National Vanguard, The Jewish Plot Against America”

  2. América de Roosevelt estabeleceu centenas de tratados com os índios – não cumpriu nenhum deles. Então, para não fugir à regra recorreram ao latrocínio https://pridecomethbeforeafall.wordpress.com/2013/07/18/life-in-germany-1930s/

    https://homemculto.files.wordpress.com/2010/05/526422_579781608716985_1319618936_n.jpg

    E para conquistar a opinião pública, mesmo salvando o regime comprovadamente genocida de Stalin, utilizaram 100% da mídia mundial para que suas vítimas fossem culpadas e enforcadas pelas suas comprovadas e não alegadas bestialidades https://www.osentinela.org/theodore-j-o-keefe/a-libertacao-dos-campos-fatos-a-se-considerar/?unapproved=28264&moderation-hash=a75a77f10139b7210f65dfbb8a9bd473#comment-28264

    Entre 1929 e 1933, cerca de 250 mil alemães se suicidaram devido ao desespero e à desesperança, mas com Hitler findaram-se a indigência, a miséria, o desemprego e a falta de moradia . http://s-mahat.org/cgi-bin/index.cgi?cont=411

    “A corrupção das mulheres é a fonte da confusão das raças; da confusão das raças, a perda de memória; da perda de memória todas as mentes; e daí – todo mal. “- Sri Krsna, o Bhagavad-Gita https://volksbetrugpunktnet.wordpress.com/2019/07/29/schlimmer-geht-immer-2/comment-page-1/#comment-85454

    “O mundo está surpreso. Grande parte da guerra psicológica contra o germanismo, como foi e é liderada por nossos inimigos em duas guerras mundiais, https://flashbak.com/when-nazis-attack-mens-action-mags-and-hitlers-perverted-minions-28735/ e ainda mais intensamente depois disso e até hoje, são as conquistas alemãs em todos os campos imagináveis ​​de arte e ciência.negando e reprimindo, e assim destruindo a reputação alemã no mundo – não menos entre a jovem geração alemã em si, que não deveria ter motivo para autoconfiança e orgulho em sua herança alemã. Este livreto a. d. J. 1940 é para neutralizar isso – trata as forças alemãs de reconstrução através dos séculos em uma forma condensada e tem a intenção de fornecer um corte transversal das realizações do espírito alemão e da força de trabalho alemã , sem ser capaz de reivindicar completude. Que ela possa dar ao mundo uma visão da extensão e do tamanho da conquista alemã, que foi suportada pelos valores eternos da nacionalidade alemã! ” Adolf Reitz https://www.wintersonnenwende.com/scriptorium/deutsch/archivindex.html

    Adolf Hitler, comprovadamente uma bênção para a humanidade https://www.fliegende-wahrheit.com/2017/10/24/adolf-hitler-ein-gewinn-fuer-die-ganze-menschheit/

    O Nacional Socialismo é um defensor do Cristianismo, até pela cruz que empregaram em seus veículos militares, enquanto os russos e americanos utilizavam estrelas. Aonde mais se possa constatar a estrela como símbolo, pode também não ser mera coincidência https://www.wintersonnenwende.com/scriptorium/deutsch/archiv/artikel/NSChristentum.html

    A verdade, como os metais preciosos, não está a vista, mas nem por isso deixa de existir e revelada por quem a encontra http://s-mahat.org/cgi-bin/index.cgi

    Embora ele não tenha sido um nacional-socialista em um sentido doutrinário, nobel de literatura norueguês Knut Hamsun se considerou um dos seguidores pessoais de Adolf Hitler. Em 7 de maio de 1945, uma semana após a morte do Führer , o seguinte elogio a Hitler foi publicado na primeira página do jornal norueguês Aftenposten:

    “Eu não sou digno de falar o nome dele em voz alta. Nem sua vida e seus feitos justificam qualquer tipo de discussão sentimental. Ele era um guerreiro, um guerreiro para a humanidade e um profeta do evangelho para todas as nações. Ele era uma natureza reformadora da mais alta ordem, e seu destino deveria surgir em um tempo de barbárie incomparável, que finalmente o derrubou. Assim, o europeu médio poderia considerar Adolf Hitler. Nós, seus seguidores mais próximos, agora inclinamos nossas cabeças em sua morte.”
    Fonte https://nationalvanguard.org/2015/04/knut-hamsun-and-the-cause-of-europe/

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Ativar Notificações    OK No thanks