fbpx

A editora Episch Verlag, cuja apresentação de livros clássicos iniciaram no site Sentinela a quase dois anos agora ganhará “vida própria”. Iniciando com suas redes sociais no facebook e instagram, agora possui um site oficial no ar. 

Você pode acompanhar as novidades na página do Facebook (epischverlageditorial) e pelo Instagram @epischverlageditora. O site é epischverlag.com.br

O selo produziu até agora os livros Minha Luta (Mein Kampf), de Adolf Hitler, uma edição popular em português; Manifesto sobre a abolição da escravidão dos juros, de Gottfried Feder, inédito em português e já em sua segunda edição; A Sinagoga de Satanás: A linhagem dos Rothschild, de Andrew Carrington Hitcook; a segunda edição de Os Discos Voadores de Hitler, de O. D. Lavine (a primeira foi produzida pela extinta Editora Revisão); “O Livro Verde”, de Muammar al-Gaddafi e “Fascismo: 100 Perguntas Respondidas”, de Oswald Mosley.

Segundo os editores, muitas outras novidades estarão por vir no decorrer deste ano. Lançamentos é o que não falta, afirmou, Anderson Costa, editor-chefe e produtor do selo. Este ano já estão confirmados: “O Mito do Século XX” de Alfred Rosenberg; “Hitler não Morreu”, de O. D. Lavine, o mesmo escritor de “Discos Voadores de Hitler”; “Desafio”,de Savitri Devi e “O Talmud Desmascarado” , polêmico livro do reverendo I. B. Pranaitis.

“Devido ao isolamento social, muitas pessoas tiveram que se afastar de seus afazeres fora de casa. Isso é, o convívio sadio com amigos e familiares. O que estamos oferecendo é uma saída produtiva e fora do consumo quase obrigatório de material produzido pela grande mídia e livrarias ou editoras de grande porte, que parece que perderam a criatividade e apenas produzem coisas politicamente corretas sobre um assunto monótono. Isso não é vida. Não estamos vendendo apenas livros, estamos oferecendo uma fuga com direito a elevação intelectual e espiritual”, disse André Marques, também produtor da editora e responsável pela parte externa do selo.

E de fato, uma pesquisa realizada pela Neotrust/Compre&Confie divulgada em janeiro deste ano mostrou que a venda de livros físicos e ebooks aumentou 44% no Brasil em 2020 para cá. Isso apesar da queda de renda. Sobre isso, Marques disse que:

“Sabemos que as medidas restritivas afetaram muitos brasileiros de forma negativa. Minha preocupação não estava somente em qualidade, mas proporcionar algo totalmente acessível às pessoas. Produzir conteúdo no Brasil sem lacração não é fácil. Eu o Anderson batalhamos por bons fornecedores. Graças a Deus eu conto com um público inspirado e faminto pelo melhor-do-melhor e eu consegui estar a altura disso proporcionando uma experiência vasta, estética, culta e principalmente… acessível, seja pelo valor, pelo tipo exclusivo ou pela forma de pagamento.”

Com a Episch, agora o mercado brasileiro, ou melhor, de língua portuguesa, poderá voltar a produzir tudo que a muito tempo não chegava aqui ou em lugar nenhum dos vastos território que nosso idioma abrange, literatura “fora da caixa”. As novas gerações poderão ler por elas mesmas, sem cortes, aquilo que se diz cada autor e pensar por si.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Quer receber nossas notificações?    SIM! Não, obrigado (a)