fbpx

O Natal é mais sagrado dia para o povo europeu, onde quer que nós estejamos no mundo, da Sibéria a São Francisco, do Alaska a Auckland. O Natal é mesmo mais que um momento religioso. Pois nossos antepassados [*a] assumiram a fé cristã e expressaram seu motivo na própria arte, coração e alma do que nós chamamos civilização ocidental.

Hoje, o Natal tem mesmo transcendido esse emotivo. Pois o Natal tem se tornado tudo o que nós celebramos como europeus. Depois de seu simbolismo cristão, ele é proeminentemente sobre família, raízes e comunidade.

VISITE NOSSA LIVRARIA

[carousel_slide id=’21180′]

 

Não é acidente que ele coincide intimamente com a ainda mais antiga tradição europeia do solstício [*b], pois o solstício é a celebração do nadir do inverno, e do calor e beleza e luz a vir. E ele é certamente o dia mais significativo do ano para todos europeus; protestante ou católico, cristão ou nórdico, crente ou não crente. Pois neste dia nós somos todos crentes em um sentido. Nós somos crentes na bondade, na beleza, na natureza, no amor, no brilho das faces de nossas crianças e na angélica luz refletida nos olhos e cabelos delas.

Créditos: Ирина Безмен/Pixabay

Durante o percurso através do Natal está a expressão da vida, do nascimento do salvador, ao símbolo da vida e da natureza expressos em nossas perenemente verdes e fragrantes árvores de Natal, à mais pura alegria nas faces de nossas crianças, ao Papai Noel de face avermelhada e barba branca em seu traje vermelho brilhante do extremo norte.

Um símbolo adequado é o Pai Natal, pois ele é como o avô arquetípico de nosso povo. A lenda europeia tem ele vindo das regiões geladas do norte, e que simboliza o lar ancestral de nosso povo. De fato, nossa raça foi moldada e afiada no cadinho da última grande era do gelo e no clima intensamente violento que governou sobre a Europa 40.000 anos atrás Este Papai Noel europeu arquetípico vem para nós no auge do inverno e na calada da noite para nos trazer presentes de amor, alegria e esperança!

Para todos nós no Movimento dedicado à vida e liberdade de nosso povo, o Natal dever ser um dia sagrado e a véspera de natal uma noite sagrada, uma noite silenciosa de maravilha, beleza e significado.

O mais intimidador e desencorajador inimigo de nosso povo é a desesperança e o desespero. Nós que somos plenamente conscientes do genocídio em curso de nosso povo através do mundo, a morte do Ocidente e do povo do Ocidente que segue acelerando, algumas vezes procuramos diminuir o a dor em nossos corações com o consolo do álcool ou o que é apenas um vício em massa como grande expectador de esportes no mundo ocidental, qualquer coisa que pareça afastar de nossas mentes o torpor na mente causado pelo prospecto de destruição e extinção de tudo que nós mantemos próximos de nossos corações.

Mas, aqueles que têm riscado fora o povo europeu americano estarão surpresos na próxima década, pois um grande despertar está agora se agitando entre nosso povo. Os mesmos genes que nos deram nossos antigos heróis e artesãos, comandantes e poetas estão ainda dentro de nós. Eles estão ainda na alma e nos nervos de nossos filhos. É nossa tarefa sagrada tocar estes genes, tocar os corações e mentes de nosso povo e trazê-los para a verdade e, derradeiramente, para a vida novamente!

VISITE NOSSA LIVRARIA

[carousel_slide id=’21180′]

 

Conforme o solstício/Natal é o nadir do inverno, então este momento na história é o nadir de nosso povo. Mas, os ventos de inverno da morte irão ser substituídos em breve por uma quente brisa de primavera da vida e renovação. Nós temos recebidos os presentes de Natal. Um presente que nós temos é a internet pela qual nosso povo pode se comunicar onde quer que ele esteja no mundo… em um instante. Nós agora temos a habilidade para conseguir a verdade para nossos irmãos na velocidade da luz onde quer que resida nosso povo.

Agora mesmo, conforme você lê ou ouve essas palavras, há meninos e garotas em seus lares ao redor do mundo que ouvem essas palavras com você. E essas palavras cantam em seus corações conforme cantam no meu. Qual canção que nós cantamos? É a canção do amor da família e povo, é a canção da vida e da liberdade, é a canção da beleza e da realização, é a canção e da realização, é a canção que nosso povo tem cantado em seus corações desde o momento em que ele emergiu das névoas de neve e trouxe a civilização para terra. É uma canção que nós iremos cantar conforme nós despertarmos e é a canção que irá agitar os corações de nossos descendentes, mesmo enquanto viajam para as estrelas infinitas.

Créditos: Scott Payne/Pixabay

Não temais meus irmãos, este é o solstício de inverno de nosso povo, a primavera não ficará longe se somente vocês manterem a fé, manterem a beleza pela qual nós lutamos em nossos corações, contemplem essas coisas no silêncio da véspera de Natal, e celebre-as na incontida alegria do dia de Natal com família e amigos, pois estes dias são seus dias, faça-os plenos de significado.

Ó noite silenciosa, ó noite sagrada! Deixe o amor dos amigos e parentes preencher nossos corações. Deixe esses dias renovar-nos e que nos redediquem à nossa herança e nossa liberdade.

Este tem sido David Duke

Feliz natal e para todos, uma boa noite


Fonte: David Duke. Silent Night – Holy Night – The most meaningful Time of the Year to European Peoples! 24/12/2018. Disponível em https://davidduke.com/silent-night-holy-night-a-christmas-message-from-david-duke/. Tradução e palavras entre chaves por Mykel Alexander via World Traditional Front em 23 de dezembro de 2020


VISITE NOSSA LIVRARIA

[carousel_slide id=’21180′]


Notas

[*a] Nota de Mykel Alexander: Sobre a ancestralidade europeia ver:

O mundo dos indo-europeus, Por Alain de Benoist. O Sentinela, 24 de março de 2019. Disponível em https://www.osentinela.org/alain-de-benoist/alain-de-benoist-o-mundo-dos-indo-europeus/

 [*b] Nota de Mykel Alexander: Sobre a relação do Solstício com o natal e o povo europeu ver artigo breve e introdutório:

O Solstício de Inverno: Símbolo da antiguidade da civilização europeia, por David Duke. O Sentinela, Disponível em https://www.osentinela.org/david-duke/o-solsticio-de-inverno-simbolo-da-antiguidade-da-civilizacao-europeia/


VISITE NOSSA LIVRARIA

[carousel_slide id=’21180′]

By David Duke

Dr. David Duke é graduado na Universidade Estadual de Louisiana com bacharelado em História. Ele concluiu seu doutorado na maior universidade da Ucrânia. Tem ministrado palestras em mais de 25 nações e em mais de 250 universidades ao redor do mundo. É um ativista político para a autodeterminação dos americanos de etnia europeia e é assíduo opositor da supremacia judaica o que atraiu antipatia e adversidade da comunidade judaica internacional, resultando em duas tentativas de prisão quando foi convidado a ministrar palestras na República Tcheca e na Alemanha. Foi eleito na Câmara dos Representantes dos EUA pelo Estado da Lousiana no mandato de 1989 – 1993. Entre suas obras estão: "My Awakening: A Path to Racial Understanding", Free Speech Press, Mandeville, 1998; "Jewish supremacism: my awakening on the Jewish question", Free Speech Press, Mandeville, 2007 e "The secret behind communism: the ethnic origins of the Russian Revolution & the greatest holocaust in the history of mankind", Free Speech Press, Mandeville, 2013.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Quer receber nossas notificações?    SIM! Não, obrigado (a)