Nova Coalizão “Itália Primeiro” Quer Deportar 500 Mil Imigrantes Ilegais

Nos ajude a espalhar a palavra:
Em 18 de maio deste ano, o Movimento Cinco Estrelas e a Liga Norte fecharam um acordo para formar um governo popular. Uma das promessas do governo é deportar meio milhão de imigrantes.
Poucos dias antes do acordo, o Comissário de Migração da UE, Dimitris Avramopoulos, afirmou que desejava que a Itália “não mudasse sua política migratória”.
O acordo do governo não apenas altera a política migratória da Itália, mas também a revoluciona. O programa pede a deportação dos 500.000 migrantes presentes na Itália.

“Hoje, existem cerca de 500.000 migrantes ilegais na Itália (…) as ordens de expulsão não são suficientes: aqueles que não têm o direito de ficar devem retornar aos seus países de origem”, diz o documento.

A Itália, sendo o primeiro porto de escala devido à sua proximidade com o norte da África, é inundada de refugiados, que não se integram bem com os italianos, para dizer o mínimo.
Na verdade, uma das razões do sucesso da Liga nas últimas eleições foi o terrível assassinato de Pamela Mastropietro, uma adolescente italiana, que foi cortada e colocada em duas malas por um solicitante de asilo nigeriano, poucos dias antes da eleição.
ABDELHAMID KADDOUR
 
 
Veja Também:
 

 

O www.osentinela.org é um projeto de mídia informativa de viés nacionalista e tradicionalista brasileiro mantido pela própria equipe, escrevendo, editando e atualizando de forma pontual, além dos nossos leitores e seguidores de nossas mídias sociais.

O conteúdo sempre será livre e de forma gratuita, mas se você quiser incentivar esse projeto, poderá fazer com qualquer valor. Assim, estará sendo VOCÊ o financiador daqueles que acreditam na causa nacional.

 

  

Outras formas de doação através do contato

[email protected]

Siga em:
Nos ajude a espalhar a palavra:
Gostou do artigo? Você pode contribuir para o site com uma doação:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.