Juíza Eleitoral Determina Retirada de Faixa Antifascista na Universidade Federal Fluminense (UFF)

Nos ajude a espalhar a palavra:
“ANTIFASCISMO” É A ARMA MAIS IDIOTA DO NEOLIBERALISMO E DA DESINFORMAÇÃO
 
Mais uma vez, os responsáveis afirmaram que a faixa foi feita por motivação contra denuncias de racismo dentro da atividade dos jogos promovido pela faculdade. Daí dos jargões que se espera da “New Left“… acusações de racismo por toda parte e acusações de fascismo a todos que lhe tenham discurso contrário. Além de “choramingos” de que o TRE teria oprimido e deixado os alunos apavorados. É por isso que o liberalismo travestido de “patriotismo” irá tomar conta do que ainda sobra de soberania no Brasil. 
 
A esquerda é o maior cabo eleitoral da direita. Nada de novo no front.
RIO — A juíza Maria Aparecida da Costa Bastos, da 199ª Zona Eleitoral (Niterói) do TRE-RJ, determinou nesta quinta-feira a imediata retirada de uma faixa com os dizeres “UFF Antifascista” na fachada do prédio do curso de Direito da universidade na última segunda (22) à noite. Na sua decisão, a juíza diz que a mensagem seria propaganda negativa contra o candidato “opositor”, Jair Messias Bolsonaro (PSL). Oque estaria proibido pela lei eleitoral, pois qualificaria o uso da entidade pública como partidária oficial a um candidato em difamação de outro.
Os alunos acataram a decisão, mas resolveram, em assembleia, colocar uma nova faixa com a palavra “censura” no lugar, além de panos pretos pelo campus e realizar um ato em frente ao TRE-RJ, ontem, na sexta (26), por volta das 16h (horário do Rio), onde compareceram representantes de diversas universidades do estado do Rio de Janeiro.
Caso a faixa original não fosse retirada, o diretor da faculdade, Wilson Madeira, seria responsabilizado criminalmente, segundo a notificação. Para ele, foi oficializado pela jurisprudência brasileira que a palavra “fascista” designa Jair Bolsonaro. Ele fará um ofício ao TRE-RJ nesta sexta comunicando o cumprimento da decisão.

Confira nossa Loja da Livraria Virtual

 

A faixa levava as cores laranja e preta, as mesmas da atlética do curso de direito da UFF, e seria utilizada como material em jogos universitários.
A juíza Maria Aparecida citou, na decisão, que houve 12 denúncias por propaganda irregular no campus, e que os fiscais teriam encontrado panfletos, adesivos e cartazes, no Centro Acadêmico, com mensagens a favor de Haddad e que associariam Bolsonaro ao ódio e fascismo. Ademais, diz que o reitor da UFF, Sidney Mello, teria confirmado ao TRE no dia 17 de outubro a existência de propagandas políticas na UFF, mas que ele não poderia impedi-las.
Fonte: O Globo

 

VEJA TAMBÉM
 
 

Outras formas de doação? Entre em contato: [email protected]

Siga em:
Nos ajude a espalhar a palavra:
Gostou do artigo? Você pode contribuir para o site com uma doação:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + 1 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.