Britisches Freikorps: Os Voluntários Britânicos na SS

Nos ajude a espalhar a palavra:
O Britisches Freikorps, foi uma uma unidade ligada a Waffen SS, formada por voluntários britânicos durante a Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945). Inicialmente chamada de Legião de St. George, possuíram quase 100 combatentes, muitas vezes recrutados entre prisioneiros de guerra, ou apenas simpatizantes da causa nacional-socialista do III Reich.
Ela foi pensada especificamente pelo britânico John Amery, de ideologia fascista, que viajou para Berlim no mês de outubro do ano de 1942, quando propôs a ideia aos alemães, como força auxiliar para combater o bolchevismo na Europa. Amery era filho de Leopold Stennet Amery, o ex-primeiro-ministro da Índia e membro do Gabinete de Guerra de Winston Churchill.
Seria organizada nos mesmos moldes da Legião de Voluntários Franceses Contra o Bolchevismo (Légion des Volontaires Français Contre le Bolchévisme), controlada pela Wehrmacht. A ordem foi liberada pelo próprio Heinrich Himmler, em 1943.
John Amery e sua esposa, Una Wing.
John Amery, nascido na cidade de Chelsea, vivia na França ocupada pelas tropas do III Reich, no governo colaboracionista chamado, Vichy. Desde jovem era envolvido com organizações nacionalistas, e anticomunistas, sempre como um ativista dedicado com a causa fascista. No ano de 1944, John Amery partiu da Alemanha para a Itália, para trabalhar junto ao governo da República de Salò, com apoio propagandístico ao líder Benito Mussolini. Era admirador das doutrinas politicas de Benito Mussolini.
O recrutamento de britânicos no Reino Unido aconteceu como propaganda em transmissões de rádio, além da distribuição de panfletos e jornais. Clamavam aos súditos espalhados por todo o império britânico para que os compatriotas pegassem em armas contra a União Soviética. Entre os candidatos, qualquer um que fosse considerado inapto ou instável pelos oficiais da SS, era considerado como incapazes, sendo descartados. Dos cerca de 400 voluntários iniciais, menos de 100 foram aprovados nos rígidos testes dos alemães.

 

Confira nossa Loja da Livraria Virtual
Começo nada promissor
O Destacamento Especial 999, foi criado em 1943, após a fundação da Legião de St. George, com a ideia de arregimentar mais combatentes voluntários do Império Britânico, para combater o bolchevismo europeu, no entanto, foi dissolvido no mesmo ano.
Desenvolvimento
Diz-se que um dos mais numerosos números de voluntários acabaram ficando cotados entre os pertencentes à comunidade britânica, entretanto, não há muitas referências escritas para que desapareceu misteriosamente depois da guerra. Além de unidades britânicas da Waffen-SS com controles independentes, chegou-se até a formar uma Legião Britânica, ideia de Amery.
O nome “British Legion” não era muito apropriado porque havia uma organização de veteranos na Inglaterra chamada da mesma maneira, muito similar em estrutura à Legião Americana dos Estados Unidos . Finalmente foi adotado o nome de Britische Freikorps (Corpo Livre Britânico) que fazia parte da Waffen-SS.
Em 1943, em Genshagen, na cidade de Berlim, os primeiros voluntários foram reunidos, e logo enviados para Pankow, na mesma capital. Se somaram aos combatentes, soldados de Luckenwalde. Em 01 de janeiro de 1944, finalmente recebem o nome de Britisches Freikorps.
Voluntários britânicos dos Britisches Freikorps, praticantes de pugilismo durante as folgas
Cerca de 500 neozelandeses, namíbios, sul-africanos, canadenses e australianos também fizeram parte das fileiras de combate dos Britisches Freikorps, como o neozelandês Roy Courlander. Muitos britânicos sentiam simpatia pelo União Britânica, de Oswald Mosley.
Dissolução e queda das lideranças
Os voluntários britânicos foram enviados para a Frente Oriental, no mês de fevereiro de 1945, e para defesa final de Berlim, assediada por tropas soviéticas (Batalha de Berlim, 1945), onde muitos permaneceram até o final e após a rendição incondicional da Alemanha, mesmo após a dissolução da Legião e das divisões por parte da Alemanha para evitar problemas com os Aliados. Esses por sua vez, acabam sendo capturados pelos soviéticos.
Voluntário William Charles Brittain, que serviu em seu país como cabo na Royal Warwickshire Regiment, lutou pela Legião Britânica da Waffen-SS e esteve presente no massacre Aliado da cidade civil de Dresden, em 1945. 
Amery foi encontrado por partisans comunistas italianos, escondido na cidade italiana de Milão, e posteriormente entregue as autoridades britânicas. Amery se declarou culpado de oito acusações por traição, acabou condenado à morte no dia 29 do mês de dezembro de 1945, por alta traição e foi condenado ao enforcamento.
Os demais britânicos envolvidos com o III Reich, membros do Britisches Freikorps, voluntários, receberam penas mais brandas de exclusão pelas autoridades do Reino Unido.
Condecorações
O mais notórios integrantes do Britisches Freikorps foram, Thomas Haller Cooper, Roy Courlander, Edwin Barnard Martin, Frank McLardy, Alfred Minchin e John Wilson, conhecidos após o fim do conflito como “Big Six”. Muitos voluntários foram condecorados com a Cruz de Ferro.
William Celliers, James Conen, enviados para Frente Ocidental (1943-1944), foram outros premiados com a Cruz de Ferro. Os demais voluntários se tratam de Railton Freeman, Frank Becker.
VEJA TAMBÉM
 

Outras formas de doação? Entre em contato: osentinelabrasil@gmail.com

Nos ajude a espalhar a palavra:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.