VÍDEO: General Durval Nery e a dominação da Amazônia pelos Globalistas Rothschild

Nos ajude a espalhar a palavra:

O General Durval Nery, então na época conselheiro do CEBRES (Centro Brasileiro de Estudos Estratégicos do Exército brasileiro) e ex-Vice-presidente da ADESG (Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra), comandou por vários anos um Batalhão de Forças Especiais na Amazônia tornando-se um profundo conhecedor do território e inclusive suas implicações geopolíticas. Entrevistado no programa Debate brasil da AEPET (Associação dos Engenheiros da Petrobrás) apresentado por José Augusto Ribeiro, o militar relatou a grave situação que envolve a soberania brasileira na Amazônia.

O general Durval Nery se manifestou pela primeira vez num debate sobre a Terra Indígena Raposa Serra do Sol, na Rádio Band-AM, em 2008. Antes dele, Hélio Jaguaribe, fez conferência em 1992 na Escola Superior de Guerra e mais recente, o general Augusto Heleno à Globo News em 2019.

As duas entrevistas abaixo foram feitas em meados de 2005.

[36:56 min.]

[37:14 min.]

Descrição

O General descreve que na Amazônia há (na época do vídeo), cerca de 100 mil ONGs estrangeiras fomentando órgãos internacionais sobre as “queimadas” – matéria que volta e meia retorna as manchetes como forma de pressão midiática para qualquer governo que esteja no Poder. Ele desmente a versão das Organizações “não governamentais” afirmando que as áreas queimadas não estão dentro da Amazônia legal e sim nas áreas periféricas.

Os criadores de gado brasileiro que margeiam a Amazônia, como afirma o General, não alimentam seu gado com ração estrangeira da Monsanto e sim, comem grama natural. E as queimadas são tradicionais nestas áreas, servem para a renovação dessa grama. Portanto, não havendo problemas de nenhuma queimada estratosférica em larga escala dentro da Amazônia afirma o General. A Monsanto, é a mesma que inventou o Napalm, a bomba incendiária usada no Vietnã pelos americanos. A Monsanto também inventou o esfoliante amarelo que contaminou milhões de inocentes na guerra do Vietnã. Todos morreram de câncer. A Monsanto tem a participação acionária das casas Rockefeller e Rothschild. A empresa também foi responsável pela doença do “mal da vaca louca”. A Monsanto fabrica ração animal para gado e usa restos de vários animais mortos e infectados. Cães, gatos, porcos, aves e outros animais, todos em estado de putrefação, são moídos e triturados em grandes máquinas e depois industrializados como ração para gado. A ração é comercializada nos EUA e na Europa.

O objetivo destas organizações não governamentais (ONG´s) seria então de desestabilizar governos brasileiros provocando reações de órgãos internacionais e um clamor por intervenção internacional na região amazônica. Por trás dessas organizações estão grupos ligados aos Rothschild que se apossam da Amazônia para explorar seus recursos naturais.

O antigo clã financeiro Rothschild, inventor da especulação moderna e epicentro tradicional da sinarquia global é dona de quase 50% de todas as indústrias, bancos e empresas no mundo. No Brasil são donos das operadoras de telefonia e exploram nossos recursos naturais como ferro, alumínio, manganês, calcário, pedras, nióbio, ouro e diamantes. Eles são donos da CSN e de mais 120 empresas estatais que foram privatizadas pelo governo do PSDB. Os Rothschilds são donos também da Samarco, a mesma mineradora que causou os estragos ambientais em Marina e em boa parte do Brasil.

A ONG inglesa WWF é financiada por Jacob de Rothschild, George Soros e pela Fundação Ford, por exemplo. Esta ONG está por trás da tentativa de patrocinar a intervenção da Amazônia e consequentemente entrega-la em detrimento e benefício de grupos estrangeiros. A WWF brasileira recebeu do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (1995 – 2001), autorização federal, via PSDB (seu partido) para atuar em território brasileiro desde 1996. Nesta mesma ocasião FHC assinou a OIT 169 que dispunha sobre o desmembramento da Amazônia em 217 micro Nações Indígenas.

Coincidências?

O golpe da OIT 169 iria desmembrar a Amazônia do restante do Brasil e facilitaria a ação de grupos internacionais na exploração de recursos naturais da Amazônia. A precariedade das populações nativas seria explorada de forma gananciosa por espertalhões como os Rothschilds e seus comparsa globalistas… como sempre foi. Quanto ou pelo que FHC e o PSDB teriam levado por baixo dos panos para entregar a Amazônia para seus parceiros globalistas, permitindo a farsa mentirosa de ONG´s poderosas como WWF?

Segundo o General, esta ONG financia o MST, grupos guerrilheiros e incita a invasão e o desmembramento da Amazônia. Membros desta ONG orientam os índios brasileiros a reivindicarem suas terras e nações através da FUNAI para finalidades escusas por parte destes terceiros. Assim, a WWF financias outras ONGs e promove a lavagem de dinheiro, tráfico de drogas e de armas dentro das reservas indígenas demarcadas, numa espécie de continuação da cultura das Drogas do Sertão.

FHC é atualmente presidente de uma Comissão Global pela Liberação de Drogas. Esta entidade é patrocinada por George Soros. Soros segundo a CIA, trafica armas e drogas na fronteira do Brasil com a Bolívia e mantêm uma fazenda de 500 mil hectares em território boliviano com plantação de maconha, haxixe e folha de coca.

Para facilitar a ação, FHC desmobilizou postos militares na fronteira do Brasil com a Bolívia e promulgou uma Lei de porte para usuários e consumidores de drogas. Esta Lei de autoria do PSDB permite que usuários transportem drogas para seu consumo sem que haja intervenção policial. A Lei também impede a prisão de usuários que estejam usando drogas em áreas públicas. Essas manobras facilitaram o tráfico e a ação de seus parceiros traficantes, fez crescer o número de drogados e de vítimas do tráfico no Brasil. A cracolândia só existe em SP graças a Lei tucana.

A história recente mostra que foi à partir de 1996 que traficantes passaram a adquirir armas de guerras, fuzis e metralhadoras para defender seus territórios e suas “bocas de fumo”. Soros vendia drogas e armas nas favelas do Brasil e enriquecia ás custas do sofrimento de milhares de famílias. O consumo e o tráfico de drogas no Brasil crescerem de forma assustadora entre 1996 e 1998. Antes a PF apreendia no máximo 30 ou 40 quilos de drogas. A partir de 1996 passaram a ser toneladas e mais toneladas de drogas e entorpecentes.

Nas informações do General, haviam 276 mil ONGs no Brasil e 100 mil delas somente na Amazônia. Somente no governo do PSDB, cerca de 180 mil ONGs foram criadas no Brasil. Grande parte delas servem para lavar dinheiro da corrupção. Durante sua gestão, suas ONG´s ligadas ao PSDB foram alvos de uma CPI abafada pelos tucanos. Ambas estavam envolvidas com doleiros uruguaios e lavavam dinheiro desviado dos cofres públicos. Outras duas ONGs ligadas a FHC desviavam verbas federais. Uma delas era dirigida por Ruth Cardoso e segundo a CPI, desviou R$ 220 milhões dos cofres públicos.

Interessante que na entrevista o General afirma que as ONGs foram denunciadas em 1996 pelo General Maynard Marques de Santa Rosa que foi secretário de assuntos estratégicos do ministério da Defesa. Outro General, Augusto Heleno Pereira, também fez denuncias e duras criticas as ONGs, ao Governo Federal e as políticas adotadas pelo Estado na região.

Como demonstra o General, há uma guerra de origem externa que visa dominar e se apossar gradativamente e com cada vez mais sofisticação fraudulenta os recursos naturais de nosso território.

A Amazônia é uma região detentora de metais e pedras preciosas, ouro, manganês, diamantes, nióbio, Urânio e petróleo, por exemplo.nos anos 80, a New Steel mineradora americana garimpou 40 milhões de toneladas de manganês no Amapá. A empresa que pertence ao filho do ex-presidente americano Roosevelt, faturou bilhões de dólares até o ano de 1992. Para o Brasil restou os buracos das escavações e prejuízos trabalhistas, ambientais, econômicos e sociais. Tanto o general quanto outros nacionalistas do calibre de Enéas Carneiro afirmam com base em estudos sérios que 98% do nióbio do mundo está na Amazônia. O nióbio é usado como condutor em celulares, computadores e até em turbinas de aviões. A extração ilegal e o contrabando causam prejuízos bilionários ao Brasil.

O General afirma que esta guerra assimétrica tem o intuito de desestabilizar o Brasil. Esta guerra vem sendo patrocinada por organizações não governamentais e ONGs que se infiltram no governo com seus milhões de dólares. O objetivo principal é fazer com que o Brasil perca seus direitos sobre seus recursos minerais e principalmente sobre a Amazônia. O General relata ainda que em 1999, 35 garimpeiros brasileiros teriam sido assassinados por homens ligados aos empreendimentos da casa Rothschild. A empresa de origem Rothschild recebeu carta branca e isenções fiscais do PSDB e de FHC para explorar minas de diamantes em território Amazônico. Se beneficiando da Lei Kandir, promulgada por FHC fatura cerca de R$ 6 bilhões de dólares anuais explorando e contrabandeando diamantes do Brasil, extraindo toneladas de diamantes dentro das reservas indígenas e contrabandeiam o produto para fora do Brasil.

Globalistas mandam nos territórios…

A empresa Rothschild manda no local e não permite a entrada de nenhum brasileiro na área de reserva. A mina é considerada a segunda maior do mundo. Na reserva Raposa do Sol, Roraima, há outra mina de diamantes sendo explorada pela Rothschild, esta sim, considerada a maior do mundo. Os Rothschild garimpam toneladas de diamantes desta reserva e faturam bilhões de dólares à custa do povo brasileiro. O governo de FHC demarcou a área e a declarou como reserva indígena em 1996. Vários produtores e colonos que habitavam essas terras foram expulsos, possibilitando o controle da Rothschild dentro das reservas demarcadas.

Em um episódio relatado pelo General, havia uma bandeira estrangeira hasteada dentro da reserva. Indignado com a ousadia, um General brasileiro mandou tirar a bandeira do mastro. Um dos empregados de Rothschild se dirigiu ao General e disse para não tirar a bandeira estrangeira, pois quem pagava mais tinha o direito de colocar a bandeira que quisesse… Quem paga mais e para quem? Nessa ocasião, o General relata que grupos ligados à Rothschild e as ONGs, estavam dentro da Selva brasileira preparando uma emboscada. Militares brasileiros de um Comando de Batalhão de Selva de Santa Isabel faziam uma inspeção na área de um igarapé quando avistaram um homem louro armado de fuzil. Com o homem louro estavam mais 3 elementos escondidos dentro da selva, todos armados e preparados para a emboscada..Os intrusos pensaram em abrir fogo contra os militares brasileiros, mas como estavam em menor número, desistiram. O fato se deu dentro de uma área yanomami. O grupo de 4 invasores embrearam selva à adentro para escapar do batalhão brasileiro e desapareceram dentro da selva. Os militares brasileiros não podiam entrar na área, demarcada como reserva ambiental. A proibição está na Lei de demarcação criada por FHC.

Apenas com a autorização de um Juiz Federal, o Exército brasileiro poderia agir dentro da reserva. Ou seja, dentro do próprio Brasil. Os invasores podem hastear bandeiras estrangeiras, contrabandear drogas, armas e diamantes, lavar dinheiro, matar garimpeiros e armar emboscadas dentro das reservas brasileiras, já o exército brasileiro precisa pedir autorização para pisar no lugar.

O Comandante do Batalhão que dirigia a operação na selva foi então à Juíza de Santa Isabel, pedir uma autorização para ingressar dentro da reserva. Quando o batalhão voltou ao local subindo o Igarapé, o coronel que comandava a missão encontrou uma pousada protegida por 15 homens, todos ex-militares americanos. Um deles foi identificado por um oficial como sendo um dos emboscadores. O coronel ao se dirigir ao identificado foi confrontado de forma grosseira. Todos agiam como se fossem donos e proprietários da área.

O local é rico em nióbio, ouro e diamantes.a pousada serve na verdade de fachada para o contrabando de nossos recursos minerais. Haviam botes motorizados e um hidro avião no local para transportar o contrabando. O próprio General Durval Nery foi impedido de trafegar de Manaus à Boavista, sendo impedido por grupos armados nas Estadas. Mesmo se identificando como General do Exército brasileiro, o General não pode seguir seu caminho pela reserva, mas somente com autorização da Justiça, disse.

A demarcação das terras indígenas foi regulada pelo Decreto nº 1 775/96 de Fernando Henrique Cardoso. Uma das etapas previstas no procedimento de demarcação foi à desocupação da terra por não índios. Centenas de famílias de lavradores foram expulsos do local e jogados na estrada com a roupa do corpo. Muitos sem sequer indenizações do Estado.

A Samarco explora a Lei Kandir não pagando impostos municipais ou estaduais e sim um imposto federal. A empresa pagou uma multa ao governo federal pela tragédia ambiental, mas não gastou um centavo sequer em indenizações às vítimas da tragédia e muito menos indenizou os municípios atingidos pela lama. A família mais poderosa do planeta recentemente passou a controlar dois aeroportos brasileiros e está de olho no aquífero brasileiro e nas hidroelétricas. Teremos que pedir permissão e pagarmos caro à casa Rothschild para podermos viajar, beber nossa água e usar nossa energia elétrica?

A Lei criada pelo PSDB se constitui um crime de lesa pátria e beneficia apenas exploradores internacionais. Os prejuízos aos municípios são devastadores. A sociedade brasileira é quem paga por todos os prejuízos tributários causados ao Brasil por esta Lei.

Mas a verdade é que quanto mais retrocedemos ou avançamos no tempo, vemos a que a agenda global é disseminada no Brasil por qualquer partido da vez, consequentemente. Todos recebem sua fatia do bolo para vender e destruir o Brasil.

Andre Marques
Siga em:
Nos ajude a espalhar a palavra:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.