Suposto “ataque neonazista” é falso: garota do #EleNão se auto-mutilou no RS

Nos ajude a espalhar a palavra:

Segundo o delegado Paulo Sérgio Jardim, há indícios de automutilação ou de que tenham sido feitos de forma consentida.

Porto Alegre – A Polícia Civil do Rio Grande do Sul concluiu que os cortes em forma de suástica feitos em uma jovem que disse ter sido atacada na rua, há duas semanas, em Porto Alegre, é um caso de “autolesão”. Segundo o delegado Paulo Sérgio Jardim, há indícios de automutilação ou de que tenham sido feitos de forma consentida. A jovem será indiciada por falso testemunho.

O laudo técnico da Polícia Civil conclui que “pode se afirmar com convicção que as lesões produzidas na vítima não são compatíveis com as que seriam esperadas, na hipótese de ter havido efetiva resistência da parte dela à ação de um agente agressor”.

Logo após o primeiro turno das eleições, a jovem de 19 anos, moradora de Porto Alegre, registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil por lesão corporal na noite de segunda-feira, dia 8 de outubro. Segundo o relato feito aos policiais, ela teria sido abordada por três homens e agredida por possuir adesivos LGBT colados na mochila.

De acordo com a versão contada à época pela jovem, após diversas ofensas e ameaças, um trio a rendeu e marcou o corpo dela com o “símbolo nazista”. Quatro dias depois, ela teria desistido da ação “por questões emocionais”. [1] [2]

Ela na verdade disse mais, segundo o relato da jovem, ela descia de um ônibus quando foi abordada pelo grupo de homens. Eles teriam a atingido com socos. Na sequência, registra o Boletim de Ocorrência, dois deles teriam segurado a vítima, e um terceiro entalhou a suástica em sua barriga… tudo mentira!

O laudo pericial e investigação da polícia civil do Rio Grande do Sul apontam para o óbvio: suposto crime cometido contra uma jovem que portava a camisa “#EleNão” foi cometido pela própria vítima, em mais um caso de automutilação. Assim como inúmeros relatos do “holocausto judeu”, é inacreditável como pessoas inventam as mais descaradas mentiras para sustentar suas neuroses pessoais. Não se trata mais de racionalidade e razoabilidade, mas sim de crença e fé. [3]

Um paralelo conhecido

O caso da brasileira Paula Oliveira, que inventara um ataque xenófobo na Suíça, mostra de forma clara como esse tema é explorado de forma leviana pela grande mídia.

Mais uma estória digna do acervo “holocaustico“. A farsa da advogada brasileira Paula O., de 26 anos, propagada pelo mundo afora desde o dia 9 de fevereiro de 2009, quando ela teria sido supostamente atacada por “neonazistas” que teriam lesionado seu corpo com estilete para talhar na pele a sigla SVP [Schweizerische Volkspartei], e que ainda teria sofrido um aborto devido aos golpes desferidos, faz parte agora oficialmente do crescente grupo de lendas e mitos envolvendo o Nacional-Socialismo. Não deixa de ser mais uma Holo-estória…

Falsa vítima se auto-mutilou

Em 16 de dezembro de 2009, a justiça suíça condenou a advogada brasileira a pagar as custas do processo e aplicou também uma multa condicional de mais de 10 mil francos suíços.

Ignorando a boa prática jornalística que determina serenidade em casos como esse, ou seja, analisar a plausibilidade da versão apresentada e, especialmente, ter mais provas técnicas e documentais, a grande mídia brasileira perdeu a oportunidade de, mais uma vez, ficar calada.

As evidências de que algo estava mal contado estavam à disposição de todos.

Autoridades e familiares expostos ao ridículo. Inicialmente o então Ministro das Relações Exteriores da época, Celso Amorim, apresentou certa cautela, uma vez envolvido pelo circo mediático promovido principalmente pela Rede Globo, mudou sua opinião e convicção.

E as verdadeiras intenções da campanha mediática vão sendo reveladas lentamente pelo Secretário dos Direitos Humanos, Paulo Vanucchi, que adorava reunir com os membros da American Jewish Committee [Comitê Judaico-Americano].

Isso tudo, numa época de agravamento da crise mundial, cresce o número de protestos e conjurações contra os membros das comunidades judaicas pelo mundo afora. Além massacre perpetrado por Israel contra a população indefesa da Faixa de Gaza também contribui para aumentar a indignação das pessoas. Movidos por um enorme ódio talmúdico, o exército israelense exterminou centenas de mulheres e crianças num piscar de olhos e sem o menor remorso. Pelo contrário, autoridades religiosas deste país justificavam a necessidade de aniquilar os palestinos.

Você pode ver sobre o caso completo e as implicações da época [4].

No contexto de hoje…

É #FAKE que muro na UERJ [Universidade Estadual do Rio de Janeiro] foi pichado com frase racista e simbologia da suástica no último dia 11 [5]

A histeria coletiva de abobrinhas da esquerda progressista e seus políticos oportunistas é o principal cabo eleitoral do entreguismo da direita neoconservadora. Isso não é novo.

Autores respeitáveis desde o século XIX abordam o mesmo assunto, principalmente os nacionalistas e posteriormente os da Terceira Posição, muitas vezes alvo do que hoje é chamado “politicamente correto”.

A derrota da esquerda no Brasil e no resto do Ocidente se faz pelo fato de que, como disse o próprio Aldo Rebelo, a esquerda parou de se envolver com causas nacionais para se importar com o comportamento das pessoas.

Notas:

[1] ESTADÃO CONTEÚDO. Jovem marcada com suástica no RS será indiciada por falso testemunho: Segundo o delegado Paulo Sérgio Jardim, há indícios de automutilação ou de que tenham sido feitos de forma consentida. Exame, Brasil, 24 out. 2018. Disponível em https://exame.abril.com.br/brasil/jovem-marcada-com-suastica-no-rs-sera-indiciada-por-falso-testemunho/. Acesso em 25 out. 2018

[2] ESTADÃO CONTEÚDO. Marca de suástica em jovem foi autolesão, diz polícia. Istoé, Brasil, 24 out. 2018. Disponível em  https://istoe.com.br/jovem-marcada-com-suastica-no-rs-sera-indiciada-por-falso-testemunho/. Acesso em 25 out. 2018

[3] INACREDITÁVEL. Desmorona farsa de advogada brasileira na Suíça. Inacreditável, Diversos, perseguição, 10 out. 2018. Disponível em http://inacreditavel.com.br/wp/desmorona-farsa-de-advogada-brasileira-na-suica/. Acesso em 25 out. 2018

[4] INACREDITÁVEL. Farsa revelada: Garota do “#Ele Não” se automutilou no RS. Inacreditável, Diversos, 24 out. 2018. Disponível em  http://inacreditavel.com.br/wp/farsa-revelada-garota-do-ele-nao-se-automutilou-no-rs/. Acesso em 25 out. 2018

[5] EXTRA. É #FAKE que muro na Uerj foi pichado com frase racista e símbolo nazista nesta quinta: Foto circula em redes sociais como se fosse atual, mas ela foi publicada há quase dez anos. G1, Fato ou Fake, 11 out. 2018. Disponível em  https://g1.globo.com/fato-ou-fake/noticia/2018/10/11/e-fake-que-muro-na-uerj-foi-pichado-com-frase-racista-e-simbolo-nazista-nesta-quinta.ghtml. Acesso em 25 out. 2018

Andre Marques
Siga em
Nos ajude a espalhar a palavra:
Gostou do artigo? Você pode contribuir para o site com uma doação:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.