Movimento de Resistência Nórdica: Ativismo Nacionalista nas Férias de Primavera

Nos ajude a espalhar a palavra:

Dois jovens ativistas do Movimento de Resistência Nórdica detalham como eles transformaram as férias de primavera deste ano na cidade de Umeå em uma produtiva semana de ativismo a serviço da luta.

Por Hugo Edlund e Herman Bengtsson

A primeira semana de março marcou as Férias de Primavera para a juventude de Umeå no nordeste da Suécia. Este feriado escolar anual [1] é geralmente uma época em que a maioria dos jovens passa seus dias jogando videogames, assistindo TV ou se embebedando em festas, em vez de fazer algo produtivo. Vimos isso como a oportunidade perfeita para mudar a cultura da primavera e reformulá-la como uma semana de ativismo juvenil.

A tarefa de mobilizar a juventude de Umeå para o nacional-socialismo ficou mais difícil devido ao caráter progressista pós-moderno da cidade, que é em grande parte resultado de seus estudantes universitários e de esquerda. É um lugar onde o nacionalismo, o conservadorismo e o amor ao seu povo ou cultura estão sempre sendo atacados. No entanto, a luta em Umeå não é uma tarefa insuperável, mas sim um desafio, um desafio que teremos sucesso.

Nossa luta em Umeå está progredindo constantemente, e neste artigo sobre nosso ativismo durante as férias de primavera, vou me concentrar em nossos sucessos nos círculos locais da juventude. Eu, Hugo Edlund, e meu camarada, Herman Bengtsson, somos nós mesmos jovens, e ao longo de nosso despertar, temos experimentado a maioria das coisas que jovens nacional-socialistas podem experimentar.

Isso incluiu psicólogos que tentam nos “curar” de nossa visão de mundo, policiais que nos passam filmes da mentira grotesca do “Holocausto”, entrevistas com serviços sociais, pais que organizam reuniões com “desertores” do grupo “anti-racista”, vermelhos que nos deixam mensagens ameaçadoras, pressão do Serviço de Segurança sueco, expulsão das forças armadas e assim por diante. A lista é longa.

Mas para citar uma excelente passagem do artigo de Cedric Höglund “Juventude nórdica, junte-se a nós”:

“Nós, jovens, temos muito a contribuir para a luta do nosso povo pela liberdade. Nós não somos apenas mais revolucionários; Também temos a vantagem social de estar em contato diário com outros jovens na escola e, portanto, temos a oportunidade de divulgar o nacional-socialismo e recrutar novos membros.”

Devido às nossas experiências e ao nosso forte desejo de despertar a juventude, temos tido muito sucesso ultimamente. Tanto Herman quanto eu há muito tempo agimos como pessoas de contato para jovens em Umeå, e podemos relatar que os adolescentes da cidade estão lenta mas seguramente começando a mudar seus pontos de vista. Os jovens locais mostraram um grande interesse no Movimento de Resistência Nórdica. Eles nos fizeram muitas perguntas políticas e ideológicas através das mídias sociais, pediram panfletos e adesivos, e também pediram para se encontrar e se tornarem membros.

A postagem do grupo anti-fascista diz: “Em Umeå, uma escalada de recrutamento de jovens para a organização nazista está indo sobre a resistência nórdica (NMR) É, portanto, extra claro que as escolas têm uma pausa nesta semana, quando a atividade nazista dispara nas alturas e o grupo local tem duas atividades em uma semana. A maioria dos nazistas que se mostram aqui na cidade estão na adolescência, mas eles estão em um ambiente hierárquico violento e o risco é que eles se tornem ambos cada vez mais radicalizados.  Este é um desenvolvimento que temos a responsabilidade de parar. Podemos fazer isso mostrando resistência. Cada vez que se mostram na cidade, cada vez que se mobilizem nas escolas, cada vez que espalhem a sua propaganda. Temos que ter a certeza que é um ser nazista, que eles se encontram com protestos massivos, que podemos nos ver em demonstrações de sentimento contrario, para eles verem que nós ganharmos. Da próxima vez nos vemos lá!” […]
O grupo “anti-racista” Luta de Umeå (Kämpa Umeå) está chateado porque mais jovens estão sendo recrutados em Umeå e que os jovens em geral estão se tornando mais radicais. No post acima, em sua página no Facebook, eles pedem que as pessoas se oponham à juventude nacional-socialista.

Aqui segue um relatório completo da semana de ativismo:

Domingo 3 de março

No domingo, realizamos uma atividade de banner pública em uma ponte na área de Haga, em Umeå. Membros e jovens simpatizantes se reuniram e foram até a ponte, onde abrimos uma faixa com a mensagem Pare a Imigração em Massa” e seguramos as bandeiras da runa Tyr.

Ficamos sem ser incomodados na ponte e a atividade transcorreu sem problemas. A mensagem da faixa atraiu todos os tipos possíveis de reações, de polegares a gestos de mãos mais negativos. Após 25-30 minutos, a polícia apareceu. Apesar de sua “falta de recursos”, um total de três carros de patrulha entraram em cena para investigar a atividade.

A polícia de Umeå não tem nada melhor para fazer do que perseguir os homens da Resistência espalhando sua mensagem política

A polícia se aproximou de nós e perguntou quem estava encarregado da atividade, mas para sua grande surpresa, nenhum de nós sabia. Um dos policiais, que parecia estar prestes a chorar, perguntou: “Que tipo de organização você tem se não tiver alguém responsável pela atividade?”

A polícia então estava em um grupo ao lado da ponte e observar a atividade por cerca de dez minutos, após o qual eles realizaram uma revista Policial segundo a Lei 19 em todos os ativistas.

Momento onde é feito a busca de revista no homem da Resistência

Depois que todos os camaradas foram revistados, sem que nada fosse encontrado, a ação da bandeira continuou como planejado. A polícia então seguiu seu caminho, além de um carro de patrulha que permaneceu para assistir à atividade. Depois de uma hora e meia, decidimos voltar ao ponto de encontro antes de socializar e discutir os eventos do dia juntos.

Segunda-feira, 4 de março

Na segunda-feira, 200 folhetos foram distribuídos na área de Umedalen, em Umeå.

Terça 5 de março

Na terça-feira 400 folhetos foram distribuídos nos distritos de Teg e Böleäng da cidade.

Um Homem de Resistência leva a entrega de “folhetos” muito a sério

Quarta 6 de março

Na quarta-feira, ativistas realizaram uma atividade de banner público em uma ponte sobre uma estrada que segue para a guarnição de Umeå. Depois de nos encontrarmos e viajarmos juntos para a ponte, abrimos o banner e as bandeiras. Desta vez também tínhamos granadas de fumaça verdes para nos tornar mais perceptíveis para motoristas, ciclistas e pedestres.

Motoristas, ciclistas e pedestres são recebidos com bandeiras da runa Tyr, granadas de fumaça verdes e uma poderosa mensagem.

Depois de ficarmos na ponte por 40 minutos, apareceu um carro de patrulha. Dois policiais vieram até nós e perguntaram quem era o responsável pela atividade, à qual respondemos que não sabíamos. Um dos policiais mencionou algum tipo de fumaça verde, mas admitiu que ele não tinha visto isso. Depois de conversar por um tempo, a polícia recuou e observou a atividade a alguns metros de distância.

Pouco tempo depois, um esquerdistas bem conhecido e agressivo apareceu na ponte, presumivelmente porque a polícia estava lá agora para protegê-lo. O esquerdistas imediatamente começou a perguntar à polícia por que tínhamos permissão para ficar ali, como seria fácil para eles nos prenderem no ato e que ele defenderia seu direito à liberdade de expressão.

O esquerdista, ou Marcus “Gråbenson”, foi recebido pela oposição da polícia, que disse que poderíamos ficar na ponte se quiséssemos e que eles protegeriam nossos direitos. Esses comentários fizeram Marcus ficar ainda mais irritado.

A essa altura, espalhou-se a notícia de que os nacional-socialistas estavam em pé em uma ponte com bandeiras e um estandarte. O grupo “antifascistas” Luta de Umeå que “não é racista, mas…” postaram mensagens nas mídias sociais sobre a “demonstração” em curso e encorajaram as pessoas a irem para lá.

Depois de um tempo, pudemos ver que alguns esquerdistas haviam se reunido em uma rua sob a ponte. Eles pareciam um bando muito triste, com a maioria deles sendo meninas pequenas. Havia sete para começar, mas seu número aumentou para nove depois de um tempo.

Os esquerdistas de Umeå reúnem suas forças em uma demonstração de resistência contra o nacional-socialismo.

Ao chegar, os esquerdistas usavam braçadeiras para colocar os dois estandartes ao lado dos nossos. Um deles dizia “esmague o nazismo“, mas quando perguntamos por que eles não “nos esmagavam” quando estávamos lá, não recebemos uma resposta.

A atividade continuou apesar da presença dos esquerdistas, embora nossos ouvidos tivessem que suportar o equivalente auditivo de um câncer quando começaram a gritar com o seu velho “nenhum racista em nossas ruas” cantando num megafone.

Houve algumas disputas entre os grupos, incluindo uma em que os esquerdistas explicaram a todos que não éramos brancos, mas “pálidos”. Os esquerdistas foram questionados sobre o que era saudável e progressista sobre a imigração em massa, mas nenhum deles pode responder. Quando um camarada deu um exemplo do que é destrutivo sobre a imigração em massa, um dos tintos perguntou à policial se o que ele disse era um exemplo de ódio racial. Ela respondeu que não era.

Depois de ficarmos na ponte por cerca de duas horas, decidimos encerrar o dia e ir para casa.

Quinta 7 de março

Na quinta-feira, 400 panfletos foram distribuídos na área de Grisbacka, após o que os camaradas realizaram uma atividade de banner pública em uma ponte sobre uma estrada em direção a Mariehem.

Grisbacka recebe o novo folheto do Movimento de Resistência Nórdica

Quanto ao Luta de Umeå colocar um post no Facebook após a atividade de quarta-feira (visível mais acima neste artigo), no post, eles pediram que as pessoas mostrassem resistência aos “nazistas” em Umeå e ameaçaram nos parar e “tornar difícil” nós sermos nacional-socialistas. Os membros e jovens simpatizantes, portanto, pensaram que seria divertido realizar outra atividade de banner público.

Homens da Resistência no caminho para a ponte de Mariehem

Ao chegar, os camaradas montaram da maneira habitual. Vale a pena mencionar que Mariehem é uma área mais multicultural, o que ficou evidente em algumas das reações dos motoristas. Ainda havia respostas positivas, no entanto, com alguns motoristas tão cansados do inferno multicultural que deram uma certa saudação à vista através de seus pára-brisas.

Depois de uma hora, o primeiro carro de patrulha apareceu. Um policial se aproximou de nós e disse que as pessoas telefonaram para eles e reclamaram que “os nazistas estão em pé na ponte gritando ‘Sieg Heil‘, fazendo ‘saudações’ nazistas e sendo agressivos e ameaçadores para os transeuntes”.

Ficamos tão surpresos com a alegação de que todos nós rimos alto, e então o policial percebeu que provavelmente haviam sido oponentes políticos que haviam feito a queixa. Depois que o policial perguntou sem sucesso quem estava encarregado da ação, ele nos desejou boa sorte e seguiu em frente.

A polícia de Umeå desistiu de assediar os Homens da Resistência e enviou um policial solitário para a cena.

Uma hora e meia depois, decidimos fazer as malas e ir para casa. Todos os camaradas ficaram surpresos que afinal não era difícil ser um nacional-socialista, e que a “Luta de Umeå” só escrevia palavras vazias.

Sexta 8 de março

Na sexta-feira foram distribuídos 150 folhetos na área de Tomtebo.

Sábado 9 de março

O Ninho realizou sua reunião mensal em Umeå. A reunião proporcionou boa comida, socialização e interessantes discursos sobre o tema da lei.

Domingo 10 de março

No domingo, 500 folhetos foram distribuídos na área de Haga.

Ao todo, distribuímos 1.650 folhetos e realizamos três exibições de banners ao longo da semana.

Esperamos que mais jovens locais se juntem a nós na luta e participem de nossa campanha contínua pela sobrevivência e liberdade de nosso povo. Nós damos aos jovens de Umeå uma promessa: cada feriado escolar será agora um feriado de ativismo!

Fonte: Nordic Resistance Movement

Publicado originalmente em 8/4/2019.

Nota:

[1] Férias de Verão ou Primavera são férias típicas do calendário letivo do Hemisfério Norte. Muito presentes nos filmes enlatados de adolescentes dos Estados Unidos, por exemplo.

Veja Também

Movimento de Resistência Nórdica Homenageia os Heróis Caídos em Budapeste

Movimento de Resistência Nórdica se reúne em Helsinque contra sua Proibição

Itália: Movimento Resistência Nórdica e camaradas alemães participam de manifestação da CasaPound

Encontro Nacionalista europeu marcha em homenagem a general Hristo Lukov na Bulgária

Nacionalismo Ganhando Espaço na Suécia

Sionistas Pedem a Cassação do MRN Sueco Para Antes das Eleições Gerais

Kampf Der Nibelungen Alemã e White Rex Russa Juntas no MMA e em Eventos Nacionalistas na Europa

Nacionalistas Brasileiros fazem manifestação contra a Privatização da Embraer em São Paulo

Saiba Mais

Ramón Bau: Sobre a Juventude e Seus Ideais

Nacional-Socialismo ou “White Power”?

Ramón Bau: O Nacional-Socialismo no Século XXI

Ramón Bau: Cristianismo Positivo no Nacional-Socialismo

Andre Marques
Siga em
Nos ajude a espalhar a palavra:
Gostou do artigo? Você pode contribuir para o site com uma doação:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + dezoito =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.