Pizzagate: Dos Clinton à pedofilia e rituais macabros

Nos ajude a espalhar a palavra:

O termo “Pizzagate” viralizou na internet em 2016 às vésperas das eleições presidenciais nos EUA entre Hilary Clinton e Donald Trump. O termo tratava de um complexo de casos criminais de pedofilia na alta cúpula política envolvendo o gerente de campanha de Hillary Clinton, John Podesta, e o estranhamente proeminente  proprietário de uma rede de pizzarias James Alefantis em Washington, DC. [1]

O caso teve início em 7 de novembro de 2016. Na ocasião, iniciou-se a evidenciar cada vez mais uma compilação de conteúdo do Instagram publicada um dia antes da eleição presidencial estadunidense pelo proprietário da pizzaria Comet Ping Pong, James Alefantis, onde apareciam fotos perturbadoras e bizarras de crianças em situações estranhas. Uma coisa até então, rotineira para ele e seus clientes, amigos e seguidores mais assíduos e chegados. Como Alefantis e seus seguidores mais próximos são “yuppies” [2] sem filhos – que postaram fotos semelhantes e adicionaram comentários estranhos – essas fotos imediatamente despertaram interesse mundial.

Heavy Breathing e Sex Stains no Comet Ping Pong

A pizzaria Comet Ping Pong em Washington é um local de música noturna. Entre esses eventos, a aparição do grupo “Heavy Breathing” causou irritação: um travesti com uma máscara de lã vermelha brilhante, apenas a boca e os olhos à mostra, peruca loira clara e óculos de sol pretos falando de uma maneira bizarramente sexualizada, entre outras coisas sobre pedófilas em uma peça musical. Os vídeos do grupo são extremamente perturbadores, são completamente sexualizados e contêm alusões à pedofilia. Outro grupo que apareceu no cometa Ping Pong, “Sex Stains”, mostra em seus vídeos uma decoração de palco na qual aparecem imagens com alusão a sexualidade pedofílica.

Os estranhos e-mails de Hillary Clinton

John Podesta, assessor de campanha de Hilary Clinton foi envolvido no escândalo do PizzaGate depois que os e-mails de Hillary foram vazados pelo Wikileaks de Julian Assange. Entre os muitos e-mails estranhos de Hillary, haviam alguns do John Podesta, mas um que chamava a atenção pelo vocabulário estranho.

O e-mail dizia:

“O corretor de imóveis encontrou um lenço, acho que tem um mapa que parece relacionado a PIZZA. É seu? Eles podem enviá-lo, se quiser. Sei que você está ocupado, sinta-se à vontade para não responder se não for seu ou se não o desejar.”

“Susan & Herb: Acabei de verificar a casa de campo e tenho um lenço quadrado de tecido (branco com preto) que foi deixado na cozinha de espíritos. É um prazer enviá-lo pelo correio, se você me informar para onde devo enviá-lo.”

Ordem cronológica dos fatos envolvendo o PizzaGate e os demais escândalos: Leaks do Wikileaks; Emails Podesta-Clinton; Os irmãos John Podesta e Tony Podesta e Maddie McCann; Fundação de Hilary Clinton para Traficar Crianças; Simbologia revelada pela CIA; Simbologia encontrada no Ping Pong Pizza; Arte do PizzaGate; E-mail da Hilary sobre “sacrificar uma galinha para Moloch”; John Podesta falando do pizza map; Hilary Clinton fazendo doaçoes ao BestaPizza; Fotos do Instagram do James Alefantis; James Alefantis: J’aime les enfants

Ao todo, mais de 35.000 e-mails de Hillary Clinton foram publicados pelos ativistas. Muitos dos e-mails contêm palavras de código que, de acordo com as publicações do FBI, podem ser atribuídas ao cenário e ao meio dos pedófilos criminais. Em seu significado usual das palavras, numerosas frases nos emails entre Podesta e Hillary não fazem sentido.

Hillary Clinton, era então principal candidata à Presidência dos EUA  pelo Partido Democrata, ao lado do menos cotado (segundo toda a mídia mundial) Donald Trump em 2016 e, como congressista, não poderia, segunda a lei americana, ter esses e-mails privados.

Esses e-mails se revelavam todo tipo de coisa estranha em comunicação bizarra e sem-sentido. Havia um e-mail no qual a Hillary falava sobre “sacrificar uma galinha à Moloch” para ter boa sorte (algo que não é prática exclusiva nos EUA, posto que o ex-presidente Fernando Collor também fazia sacrifício de animais para ter boa sorte, segundo conta a sua ex-mulher Rosane Malta em seu livro “Tudo o que Vi e Vivi“.

Também haviam e-mails sobre um tal de “spirit cooking”.

“Spirit Cooking” ou cozimento espiritual

Marina Abramović é uma artista performática nascida em uma família judia de Belgrado, em 1946 [na época Iugoslávia, hoje Sérvia] que, segundo a Wikipédia, iniciou sua carreira no início dos anos 70 e manteve-se em atividade desde então. Considera-se a “avó da arte da performance”. Seu trabalho explora as relações entre o artista e a plateia, os limites do corpo e as possibilidades da mente. Por décadas, ela é considerada uma das artistas do gênero mais influentes.

É típico desse tipo de trabalho que ela expõe seu próprio corpo a influências externas de uma maneira nua, dolorosa, degradante ou prejudicial. Em 2010 foi realizada uma exposição no MOMA, Museu de Arte Moderna de Nova Iorque, que ocupou todos os seus seis andares com a retrospectiva da carreira da artista. Foi lá que sua apresentação mais marcante aconteceu: ela ficou durante os três meses de exposição disponível ao público – quem quisesse chegava e passava um minuto de silêncio sentado olhando para Marina (ela passou mais de 700 horas sentada numa cadeira sem se mexer). Esse tipo de trabalho de arte traz energias espirituais ocultas e as torna visíveis ou palpáveis.

Marina Abramović e seu fetiche satânico. / Foto: Vogue UA

Em 1997, Marina Abramović realizou um ritual oculto em um museu sob o título: “Spirit Cooking”. De acordo com uma exigência ritual de Aleister Crowley, ela misturou esperma, sangue, leite materno e outros ingredientes. Então ela pintou as paredes do museu com a frase: “Com uma faca afiada, corte profundamente o dedo médio, coma a dor”.

Aleister Crowley desenvolveu o conceito de “bolo de sacramento” ou de “luz”. Juntamente com o mel, o óleo de cozinha e outros ingredientes, leva o “bolo de sacramento” faz parte do ritual oculto onde este simboliza a unidade essencial do microcosmo, humano e macrocosmo, fiel ao antigo teorema do ocultismo também chamado hermeticamente  “As above, so below” [Como acima, é abaixo], que provou ter vários milênios – e que encontra sua analogia em fotografias modernas, que tornam visível a semelhança estrutural das veias em uma folha e nas marés de uma costa. A visão oculta fecha o círculo entre o homem e suas divindades através de uma tomada ritual do “bolo de luz”. O uso do sangue é essencial, segundo ele, para estabelecer ritualmente a conexão entre o mundo material e espiritual. A matéria, de acordo com a ideia oculta, é transformada em pura energia e, portanto, na dieta dos espíritos. De acordo com esse conceito, espíritos, anjos e demônios se alimentam de luz, som e emoções humanas.

Este trabalho do “Spirit Cooking” levanta a questão de até que ponto isso é considerado “expressão artística” ou magia negra. A revelação de Marina Abramović é esclarecedora. Ela disse: “Se é realizada em uma galeria, então é arte. No entanto, se for realizado em um ambiente privado, será muito mais íntimo e espiritual”.

Nos e-mails privados de Podesta publicados em 2016, o termo “Spirit Cooking” aparece em conexão com um convite que Marina Abramović havia emitido. Em 2016, depois que o escândalo do Pizzagate agitou a rede mundial, ela declarou que não era satanista – e as menções por e-mail eram na verdade refeições públicas de patrocinadores e, de maneira alguma, celebrações rituais privadas e secretas.

Lady Gaga e Marina Abramovic em um vernissage satânico. /Foto: Karl Herrmann, Metapedia.

Essa espécie de “reunião” da qual citou Abramović, na verdade ocorreu e foi dada para várias pessoas do meio da elite de famosos incluindo políticos e celebridades onde comiam um bolo em formato de seres humanos. Certo é, que Abramović tem como marca registrada o grotesco, macabro e perturbador. Tirado diretamente de seus mestres espirituais.

Podesta, Alefantes, a rede de pedofilia e o acobertamento midiático

Entre os mais interessantes haviam e-mails que falavam sobre o Comet Ping Pong Pizza que era, supostamente, uma pizzaria como qualquer outra, a diferença é que acontece é que o dono – James Alefantis – em seu instagram publicava muitas fotos com crianças ao mesmo tempo em que fazia comentários sexuais junto com seus amigos em fotos com crianças em cestas, crianças com as mãos amarradas em uma mesa, uma foto de uma sala que chamaram de “câmara de tortura”, áudios do assessor de Campanha da Hillary Clinton, John Podesta, gritando para crianças “Diz o meu nome!” enquanto a criança diz “John” gritando e chorando, e ele diz “O outro nome!” e a criança dizia, “Daddy” [papai].

John Podesta em 2016. Foto: AP

Nos e-mails, se revelou que Hillary Clinton financiava este restaurante com milhões de dólares, enquanto James Alefantis é segundo a revista GQ uma das 50 pessoas mais poderosas de Washington. Como isso é  possível se ele é só o dono de uma pizzaria?

O FBI revelou que os pedófilos tem alguns símbolos para se identificar entre eles. Por exemplo, acontece que, o Comet Ping Pong Pizza, tinha um símbolo distintivo em sua fachada do restaurante.

Depois que o tópico #PizzaGate se tornou um dos termos de pesquisa mais solicitados na internet por um período de cerca de três semanas, a mídia mentirosa não pôde mais ficar calada sobre esse fato. No entanto, em vez de refletir os fatos extremamente preocupantes, eles lançaram uma campanha totalitária contra a liberdade de expressão na rede global de ambos os lados do Atlântico e cunharam o termo “fake news” [notícia falsa] para o caso, de forma uníssona. 

Os arredores geograficamente próximos das pizzarias “Comet Ping Pong” e “Besta Pizza”: fundações e instituições próximas ao governo.  A pizzaria vizinha “Besta Pizza” mudou seu logotipo baseados no FBI para um logotipo claramente pedossexual depois que o escândalo do Pizzagate ferveu, como provam as gravações do Google Street View.

Alguns de nós estávamos seguindo as notícias do dia a dia, passo à passo. Hoje é mais complicado recompilar os fatos já que com o crescimento da polêmica. Mas, o então secretário de campanha da candidata a presidência, Hillary Clinton, Podesta, foi o primeiro a dar enfase ao termo “fakenews” para o caso em uma entrevista no mínimo questionável.

A entrevista para a FoxNews, [3] que ainda hoje está no Youtube com 83.000 visualizações e mais de 90% de “dislikes” das pessoas comuns, que não só de viam a óbvia falsidade com a que John Podesta respondia as perguntas, como também, com a falsidade do entrevistador que não fazia nenhuma pergunta legítima sobre o que estava acontecendo, como se tudo o que tinha saído à visão pública fosse só uma ilusão de uns loucos da internet. No maior e mais óbvio caso de “Cortina de Fumaça” que se pode ver recentemente. Ele começou a falar sobre como a Rússia estava tratando de manipular as eleições hackeando os e-mails da Hillary Clinton. Provas? Nenhuma. Argumentos? Nada. Mas o entrevistador aceitou como se fosse o óbvio acontecendo.

Não precisa dizer que essas falsidades se espalharam por todo o mundo, enquanto que a verdade, ficou só entre alguns que seguíamos aquilo de perto. A partir daí se criou o termo “fake news” como argumento de defesa do Podesta. Ele dizia que tudo isso era “fake news” para minar a campanha de Hillary Clinton. O entrevistador não fez sequer uma pergunta sobre os e-mails dele. Mas simplesmente falavam de coisas que não tinham nada a ver. Enquanto isso, acreditava-se inocentemente que essa entrevista seria o momento em que tudo aquilo passaria a público, e finalmente os atos hediondos da Hillary Clinton, John Podesta, James Alefantis e todos os envolvidos seriam revelados ao público. Mas não…

False flag e graves censuras

Essa campanha de enquadramento como “notícias falsas” e a censura nos meios de comunicação de qualquer denúncia como forma institucional, foi motivada por relatos sensacionalistas de um suposto atirador que havia visitado a Pizzeria Comet Ping Pong para realizar “suas próprias investigações”. Ele teria disparado um tiro e foi imediatamente preso. Essa suposto atirador chamava-se Edgar Maddison Welch e na verdade um ator de televisão desempregado, mencionado no Internet Movie Database (IMDb) [4]. Na época do crime, ele participou como réu num julgamento por um acidente de carro em outubro de 2016, no qual feriu um jovem (e as autoridades relataram que seu pai estava ligado à iniciativa do Haiti da Fundação Clinton).

Edgar Maddison Welch, de Salisbury, Carolina do Norte, se rendeu à polícia em Washington em dezembro. Crédito: Sathi Soma, via Associated Press

Depois de todas as circunstâncias desse ataque desajeitado e sem sentido, ela deve ser considerada uma operação típica de bandeira falsa, que serve para desviar a atenção do público de fatos sérios e direcioná-la para um tema de crime de curto prazo, um “Psyop” [‘psychological operation’ ou ‘operações psicológicas’ são operações para transmitir informações e indicadores selecionados ao público para influenciar suas emoções, motivos e raciocínio objetivo e, finalmente, o comportamento de governos, organizações, grupos e indivíduos]. Mas foi relatado na mídia que o mesmo era um entregador “aleatório”, vítima do ataque porque jovens estúpidos de 15 anos espalharam “notícias falsas” na rede mundial e se divertiam com o infortúnio que causaram com seus “vídeos de conspiração”. Somente depois de um mês ele mudaria de ideia e dizia, ele mesmo, que o PizzaGate era realmente verdadeiro.

Exatamente a mesma mentira da mídia que vinha relatando incorretamente há meses que Hillary Clinton era a vencedora das eleições presidenciais dos EUA – e Donald Trump era um candidato incapaz e condenado ao motim sem perspectivas – agora propagava a governança global da mídia como legislativa (e moral). Vejam, como é desejável que apenas jornalistas “qualificados” em “mídia de qualidade” tenham o direito de divulgar notícias. 

Desde essa abordagem coordenada da mídia de massa, pertencente a algumas empresas, a questão não é mais: quem está envolvido no encobrimento de uma rede de pedófilos? A questão agora é: quem não está envolvido no cartel de mídia e nas partes do cartel?

O anúncio de que Washington [Estados Unidos] e Bruxelas [União Europeia] iriam censurar sistematicamente todas as atividades nas mídias sociais, como Twitter e Facebook por lei, é o mesmo que o plano de introduzir uma Internet em estilo chinês para os EUA e a Europa Ocidental. Na China, a credibilidade pessoal está até vinculada a “pontuações”, nas quais proibições e avisos no Facebook são incluídos no ranking. Na República Federal da Alemanha, a censura no Facebook é organizada desde 2016 por meio de uma fundação privada (Fundação Amadeu Antonio) e outra empresa privada (subsidiária da Bertelsmann Arvato) sem nenhuma autoridade de revisão e sem base legal.

John Podesta, pescador de crianças

O gerente de campanha John Podesta usa tatuagens com a inscrição 14 e um símbolo de peixe nas palmas das mãos (se as fotos correspondentes não forem falsas). Isso significa algo como “Pescador de adolescentes/crianças”.

Tweet de Andrew Breitbart sobre John Podesta 2011

Um dos principais jornalistas independentes dos Estados Unidos, Andrew Breitbart (1969–2012), fundador da Breitbart News Network, postou o seguinte tweet em 4 de fevereiro de 2011:


O twitte diz: “Quão o prog-guru John Podesta não é familiar com a escória da classe mundial que tecla em defesa do escravizador sexual de menores de idade é algo indizível para mim.”

Esse tweet recebeu pouca atenção na época, mas agora é – no contexto do escândalo Pizzagate em 2016 – uma palavra profética de grande significado. Andrew Breitbart morreu aos 43 anos em circunstâncias estranhas numa calçada depois de visitar um restaurante [5].

Após a morte de Andrew Breitbart em março de 2012, Stephen Bannon se tornou seu sucessor. O Breitbart News agora é considerado um dos porta-vozes mais importantes do chamado “Alt-Right” (ou “direita alternativa”). Em novembro de 2016, Donald Trump o nomeou Conselheiro de Governo e, portanto, como estrategista-chefe e consultor sênior de sua presidência designada. Esse apelo alimentou a expectativa de que um presidente Trump fosse educado e sério sobre a aplicação da lei, mesmo que fosse uma investigação difícil e ampla sobre Washington. Depois que Trump assumiu o cargo (20 de janeiro de 2017), Bannon permaneceu em sua posição de destaque por apenas algumas semanas; depois que Trump reestruturou o Conselho de Segurança Nacional em 5 de abril de 2017, Bannon deixou de ser membro.

Casos similares e com possíveis ligações

Primeiro precisamos de informação prévia para nos adentrarmos neste caso específico de rede de pedofilia com membros tão seletos:

Nos EUA houveram casos em que se expuseram grandes redes de pedofilia com pessoas poderosas e influentes no passado, talvez o caso mais notável seja o do “Caso McMartin”.

O caso McMartin foi um caso judicial de abuso sexual satânico ritualizado em uma creche pré-escolar na década de 1980. O caso começou com uma denúncia em 1983 contra a família McMartin, proprietária do berçário, na Califórnia, que foi acusada de abuso sexual de 360 ​​crianças e realização de rituais com sacrifícios de animais em túneis subterrâneos dentro do estabelecimento. Após seis anos de julgamento, nenhuma condenação foi obtida e todas as acusações foram retiradas. Quando terminou, em 1990, havia sido o julgamento criminal mais longo e mais caro da história dos Estados Unidos. [6]

O caso do inexplicável sequestro de Maddie McCann em 2007, o caso europeu de “Maddie” pode até estar relacionado ao complexo Pizzagate. A britânica Madeleine Beth McCann, chamada “Maddie” (12 de maio de 2003 em Leicester), desapareceu em 3 de maio de 2007 de um apartamento na Praia da Luz (Portugal) e está desaparecida desde então. O caso tornou-se conhecido em todo o mundo através das atividades de pesquisa de seus pais Gerald e Kate McCann, ambos médicos, e pela cobertura da mídia em andamento.

O caso de Jeffrey Epstein e o sua ilha de tráfico de menores e abuso sexual onde diversos políticos, empresários, pessoas da mídia, realezas e celebridades iam abordo do seu “Lolita Express” foi bastante emblemático. O próprio Bill Clinton [e Donald Trump] foi um dos políticos mais assíduos frequentadores das dependências promovidas por Epstein.

Existem vários testemunhas de pessoas que dizem ter sobrevivido a casos de abuso ritual satânico nas mãos deste tipo de pessoas, que conseguiram escapar. O mais notável é o de Cathy O’Brien, escritora dos livros “Trance Formation of America”, “Access Denied: For Reasons of National Security” ou “PTSD: Time to Heal” (PTSD é Transtorno de estresse pós-traumático, uma perturbação mental comum entre vítimas de abuso sexual satânico como ela ou veteranos da guerra que viram seus amigos morrer). Ela já mostrou fotos de sua vagina mutilada, segundo ela, pelo Tenente Coronel Michael Aquino, ex-membro da “Igreja de Satã”, de Anton Lavey e fundador do “Templo de Set”.

Tudo isso confirma os testemunhos medonhos de pessoas como Cathy O’Brien que já denuncia estas coisas há mais de duas décadas. O’Brien afirma que sofreu abuso sexual de vários políticos poderosos, e que usavam ela para transportar drogas através da fronteira entre outras coisas completamente sinistras e inacreditáveis para qualquer um que escute o que ela diz sem saber a profundidade de todas elas.

O vice-presidente de Obama, Joe Biden, do Partido Democrata, hoje também cotado para concorrer à presidência dos EUA, em um dos muitos documentos em PDF sobre seu comportamento inadequado em relação a jovens em público                                         Artigo com co-participação e idealização de Vitor Dilucca

 

Notas

[1] O “Distrito de Columbia” ou “Washington, D.C.” é um distrito federal, sede do governo e, desde 1800, a capital dos Estados Unidos da América. O distrito em si não é um estado e não pertence a ele, mas subordinado diretamente ao Congresso dos Estados Unidos. A Grande Washington, com seus cinco milhões e meio de habitantes, fica em grande parte no estado da Virgínia, onde houve um aumento de dez vezes no número de crianças desaparecidas em 2015/16 em comparação com a população dos estados vizinhos. É semelhante à outros espaços como a City of London ou à área de jurisdição do privado Banco Central dos Bancos Centrais, o  BIS [Banco de Compensações Internacionais].

[2] “Yuppie” é uma derivação da sigla abreviada de “Young Urban Professional” [Jovem Profissional Urbano], um termo anglófono cunhado no início dos anos 1980 para um jovem profissional que trabalha em uma cidade.

[3 ] O Link da entrevista do John Podesta à Fox News, que alguns chamam “mídia de direita” e portanto, segundo eles, confiável: https://www.youtube.com/watch?v=J0wa2MhPkfA

[4] IMDB. Edgar Maddison Welch. IMdB, Actor; Miscellaneous Crew; Writer. Disponível em https://www.imdb.com/name/nm2625901/?ref_=fn_al_nm_1. Acesso em 12 fev. 2020.

[5] Veja a dissertação de Douglas Ernst: Andrew Breitbart tweet before death adds fuel to online speculation of D.C. sex-trafficking ring: Newspapers, pundits blast charges from ‘dark crevices of the Web’. Washington Post, 28 de novembro de 2016. Em português: “O tweet de Andrew Breitbart antes da morte aumenta a especulação on-line de D.C. anel de tráfico sexual: Jornais e especialistas explodem acusações de ‘fendas escuras da Web'”. Disponível em: https://www.washingtontimes.com/news/2016/nov/28/andrew-breitbart-tweet-before-death-adds-fuel-to-o/. Acesso em 12 fev. 2020.

[6] THEUNTOLDSIDEOFTHESTORYMJ. Caos de Falsas Acusações de Abuso Seual, Parte I “Caso McMartin”. theuntoldsideofthestorymj, Artigos, Caso Arvizo, Caso Chandler, Outras acusações falsas de abuso. Disponível em: http://theuntoldsideofthestorymj.blogspot.com/2011/12/falsas-acusacoes-sexuais-parte-i-caso.html. Acesso em 12 fev. 2020.

Ver artigos abrangentes sobre Hillary, Jefrey Epstein e outra seita muito parecida na mesma área:

Expondo a agenda Líbia: Uma olhada mais de perto nos e-mails de Hillary

Caso Jeffrey Epstein: Pedofilia e trafico humano na alta política e finanças sob respaldo do Mossad

EUA: Clare Bronfman, bilionária ligada aos Rothschild, acusada de acobertar culto sexual e tráfico infantil

[Documentário] Segredos obscuros: Por dentro do Bohemian Grove

Andre Marques
Siga em
Nos ajude a espalhar a palavra:
Gostou do artigo? Você pode contribuir para o site com uma doação:

One thought on “Pizzagate: Dos Clinton à pedofilia e rituais macabros”

  1. A colocação abaixo se correlacionada com quem são os proprietários das mídias ocidentais responde quase tudo:

    “Desde essa abordagem coordenada da mídia de massa, pertencente a algumas empresas, a questão não é mais: quem está envolvido no encobrimento de uma rede de pedófilos? A questão agora é: quem não está envolvido no cartel de mídia e nas partes do cartel?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 3 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.