Alexandre Garcia ainda Preso à Propaganda de Guerra Aliada

Nos ajude a espalhar a palavra:

Alexandre Garcia [1] divulgou um vídeo pelo Youtube neste último sábado, 01/06/19, onde expõe um paralelo entre “nazismo”, comunismo e a situação brasileira. Baseando-se na propaganda de guerra aliada, o renomado jornalista repetiu diversas lacrações históricas, mostrando que aparentemente seu longo tempo de atuação na Globo ainda deixa vestígios em seu então admirado raciocínio.

No vídeo exibido pelo Youtube, o repórter refere-se a um texto de sua autoria, o qual foi publicado no final de maio em diversos jornais e, logo no início, deixa claro sua intenção de fortalecer a tese “olaviana” de que o Nacional-Socialismo e o Comunismo seriam “ideologias de esquerda”, ou seja, estão juntas e são basicamente idênticas.

Demonstrando seu conhecimento do idioma de Goethe, Alexandre Garcia discorre sobre a invasão da Polônia pelos “Panzern” alemães, e emenda com a “defesa heroica da cavalaria polonesa”. Nenhuma palavra sobre as atrocidades cometidas pelos poloneses contra a minoria alemã nos meses que antecederam o início do conflito teuto-polonês. Nenhuma palavra sobre a carta em branco dos ingleses ao governo da Polônia, assinada em março de 1939. Nenhuma palavra sobre os planos mirabolantes de generais poloneses para atacar a Alemanha. Enfim, o jornalista repete ad nauseam o costumeiro blá-blá-blá.

Lá pelo meio do vídeo, Alexandre Garcia solta a seguinte pérola:

“Pois aqui, nesses últimos 30 anos, o pacto do nazismo com o comunismo voltou a ser aplicado, não para destruir a Polônia, mas para destruir o Brasil. E quase conseguiram. O nazismo entrou com a máxima de Goebbels, de que a mentira repetida se torna verdade; e o comunismo contribuiu com os ensinamentos de Gramsci, aplicados no ensino e na informação, para conquistar as mentes, com sectarismo usual de nazistas e comunistas.” (sic)

Engraçado como a barra é forçada aqui, pois ele se utiliza de uma suposta constatação feita por Goebbles, como se este tivesse sido o autor dessa máxima! Que ela também foi mencionada (e aplicada?) por um rabino décadas antes de Goebbles, isso, óbvio, não é mencionado. Apenas essa máxima já vale como pretexto de unir as duas correntes em uma tese conspiratória para destruir o Brasil! (risos)

E como não poderia deixar de ser, “nazistas e comunistas tinham o mesmo projeto cosmopolita, de conquista do mundo”!! Quer dizer que um país que TOMA ATITUDE para defender seu povo em território surrupiado pelo vizinho através de um ditado imposto goela abaixo, esse país quer conquistar o mundo? Devemos lembrar ao influenciador midiático que não foi a Alemanha que transformou um conflito regional em guerra mundial. Os autores desta catástrofe foram os governos ingleses e franceses, os mesmos que nada fizeram quando a União Soviética invadiu a Polônia duas semanas mais tarde. Os mesmos que recusaram terminantemente as inúmeras tentativas da Alemanha para solucionar pacificamente o conflito.

E por final, temos que ainda ouvir ele declamar que “a sabotagem, pela pregação do pessimismo e divulgação de um lado único da história tem produzido resultados entre os que dependem das mesmas fontes de informação.” Oras, Alexandre Garcia, como jornalista você tem toda capacidade de se informar sobre o outro lado da história da Segunda Guerra. Mas faça isso não ouvindo o governo alemão dos pós-guerra, pois ele é apenas o prolongamento dos tentáculos aliados. Comece estudando este site e posteriormente os inúmeros livros e artigos publicados por historiadores revisionistas.

Fonte: Inacreditável

Publicado originalmente em 3/6/2019.

Notas:

Nota do autor: É claro que não devemos esperar outra coisa dos profissionais da mídia de massa, ainda mais daqueles da geração de Alexandre Garcia. Apesar de ter abandonado a emissora global este ano, ele ainda carrega consigo anos e anos de doutrinação. O intuito do artigo é apenas o registro. Para a posteridade.

[1] Nota da Edição: Alexandre Eggers Garcia (1940) é jornalista, apresentador e colunista político brasileiro do estado do Rio Grande do Sul, tendo sido porta-voz do último presidente do período do Governo Militar (1964 – 1985), o general João Batista Figueiredo. Atuou no Jornal do Brasil, na extinta TV Manchete e na Rede Globo.

Andre Marques

Brasileiro, nascido em 1993 na cidade de Fortaleza, cursa o bacharelado em Direito pela Universidade de Fortaleza. Possui conhecimento autônomo nas área de economia, ciência política e pesquisa histórica amadora com enfase em assuntos não convencionais ou desprezados pelo academicismo oficial.

Após atuar durante muitos anos no Marketing empresarial e comercial, fundou o blog O Sentinela (atual site) onde hoje é editor, um dos redatores e um dos colunista.
Andre Marques
Nos ajude a espalhar a palavra:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.