fbpx

Ontem, dia 25 de julho, foi lembrado o aniversário da imigração alemã no Brasil, relembrado com saudosismo e orgulho dos antepassados, como os pioneiros germânicos que no dia 25 de julho de 1824 desembarcavam na colônia São Leopoldo, província do Rio Grande do Sul, para escrever uma nova história.

Por Resistência Sulista:

Em 2021, se celebra os 197 anos de história de Imigração e Colonização Alemã.

A saga se inicia em condições comuns aos europeus que imigraram para o Sul, mas a imigração alemã possui uma particularidade: o processo de unificação do território, marcado por conflitos e perseguições religiosas, além do impulso industrial que provocou o êxodo rural e a estruturação de uma massa de trabalhadores desempregados nos centros urbanos-industriais que se estruturavam na Alemanha.

Contudo, grande parte dos imigrantes ocuparam o Sul, dentro do projeto do Império Brasileiro de consolidação de fronteiras em áreas próximas a Bacia do Prata, sendo São Leopoldo (Rio Grande do Sul) a primeira colônia germânica fundada em solo sulista. Existiu nas colônias germânicas uma forte tentativa de manutenção da cultura e da língua do país de origem, tendo como principal símbolo a construção de escolas, muito ligadas a comunidades religiosas protestantes e católicas, que seguiam à risca os moldes da educação alemã, valorizando seus hábitos e costumes. Como consequência, grande parcela dos descendentes dos colonos alemães no Brasil foram alfabetizados aprendendo apenas a língua germânica. Até 1939 era comum a publicação de obras literárias, jornais e revistas em alemão, direcionados para as populações das colônias instaladas no Brasil.

Diante das dificuldades os alemães se estabeleceram e impulsionaram suas colônias, a presença dos germânicos foi essencial principalmente no setor agropecuário e industrial, além da contribuição étnica e cultural.

Viva o dia 25 de Julho! Viva o dia do Colono!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Quer receber nossas notificações?    SIM! Não, obrigado (a)